segunda-feira, 17 de abril de 2017

PARA QUE SERVE A FILOSOFIA?


PARA QUE SERVE A FILOSOFIA?
Ou como eu respondo a pergunta mais freqüente.¹
Em pouco mais de dois meses como monitor da disciplina de Filosofia do Direito, não preciso de ir muito longe para identificar qual é a dúvida que mais apetece meus colegas no curso.
Ao contrário do que se poderia imaginar, não me perguntam sobre as diferentes concepções de Justiça para Platão ou Aristóteles, ou como se deve perceber o debate entre Heráclito (para quem tudo é eterno vir a ser) e Parmênides (segundo qual o ser é imutável). Tampouco me questionam como o Comunitarismo de Santo Agostinho e São Tomás de Aquino fortemente ensejaram no surgimento do Jusnaturalismo. Da mesma forma, não lhes suscita dúvida respeito de como o Iluminismo de Kant contribuiu para uma modernidade extremamente racional, culminando no forte e rígido positivismo de Kelsen.
Poderia continuar pontuando questões relevantes da história da filosofia e como esta influenciou as noções de Direito e Estado por todo o percurso temporal da sociedade humana. Os autores e correntes são inumeráveis e representam     toda sorte de significação de vida, cadeia moral ou senso ético, partindo de tantos fundamentos quanto possíveis. Porém, o que chamo atenção nesta pequena reflexão não é isso.
Na realidade, as indagações dirigidas a mim questionam a necessidade da disciplina no curso, qual seu efeito prático ou, ainda, como seria possível alguém gostar de filosofia [do direito]. Respondo trazendo à tona experiências vividas em sala de aula. Certa vez um professor foi alvejado da mesma pergunta. Sua resposta foi simples, ao dizer que a matéria servia para-nada. Cabe dizer apenas que o aparente desdém do professor poderia significar o termo heideggeriano para designar toda a potência da liberdade de escolha do ser humano, em vista das possibilidades diante daquilo que ele chama de mundo circundante. Doutra vez, em palestra sobre o papel das universidades no período brasileiro da ditadura militar, um professor foi questionado, de forma semelhante, sobre a necessidade de estudar tais matérias no curso de Direito e sobre o porquê de não se poder lecionar de pronto a prática forense. Sua resposta foi pertinente ao assunto da palestra. Disse que o aluno tecnicista e preso à legislação e ao direito institucional era o preferido da ditadura: não questionava.
Nossa sociedade vive período imediatista, marcado pela necessidade produção de resultados e respostas instantâneas a qualquer custo. A filosofia exige esforço contrário. Reflexiva, intangível, busca muito mais questionar do que responder. O perfil daqueles que procuram o curso de Direito não é imune a isso e invariavelmente acompanha o fluxo das relações sociais. A instabilidade socioeconômica do país faz com que, cada vez mais, os jovens recém egressos do ensino médio busquem a estabilidade e a segurança que o funcionalismo público-estatal pode oferecer. Não se exige, com rigor, um conhecimento de tipo filosófico para aqueles que buscam ingressar no setor público: os critérios de avaliação são sempre objetivos, taxativos, exatos. Semelhantemente, o direito forense tem tomado rumos cada vez mais instrumentalizados e engessados, com freqüentes edições de súmulas e decisões controversas nos tribunais superiores que nos fazem perceber como a mecanização do direito processual, não nos tem mais permitido enxergar a análise das minúcias do caso concreto no momento das decisões judiciais.
Responder ao título desse texto é um desígnio que exige um grande esforço reflexivo. Como se pode perceber, a filosofia não pretende responder de imediato, mas sim traçar um proceder reflexivo, aguçar o senso crítico e ajustar nossas lentes para que melhor possamos enxergar e perceber, não só as situações fáticas de nosso entorno, mas também de que maneira nossas concepções internas carecem de mudança. Desenvolver o senso crítico é essencial se quisermos situar nosso ser – e nossa sociedade – no tempo e no espaço. Questionar a ordem posta é fundamental para garantir não só a existência, mas exeqüibilidade de qualquer direito considerado essencial à vida em sociedade. Como se sabe, tais direitos são oriundos não de concessão, nem de concepção técnico-científica, mas de ações e inflexões de quem esteve diante do que lhe foi apresentado como mundo.
¹Por Vitor Maia Veríssimo (Graduando em Direito pela Faculdade Mineira de Direito (PUC/MG). Monitor de Filosofia do Direito. Pesquisador do Núcleo Justiça e Democracia.) http://fmd.pucminas.br

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

DEVER DE CASA - 1ªEM

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
ANO: 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA - Para 22/02/2017


CAUSAS DA ORIGEM DA FILOSOFIA
Por que os gregos começaram a explicar o mundo de uma forma diferente da explicação mitológica? Em outros termos, o que tornou possível a passagem da cosmogonia à cosmologia?
Há causas para a origem da Filosofia e, agora, vamos analisar algumas delas. Perceba como cada uma delas operou uma mudança significativa no modo de pensar do homem na AntigUidade grega, permitindo a formação de coisas novas como a Filosofia, segundo Jean-Pierre Vernant.

1ª CAUSA - AS NAVEGAÇÕES: uma parte considerável da vida dos gregos relacionava-se com o mar, era de onde, por exemplo, conseguiam obter parte significativa de sua alimentação. Vivendo muito no mar, os gregos não encontraram muitos dos monstros marinhos narrados pela história oral e nem vivenciaram seres e histórias narradas por poetas. Assim, as navegações contribuíram para o que Max Weber chamou mais tarde de “desencantamento do mundo”. Fazia-se necessário um saber que explicasse os fatos ocorridos na natureza que não recorresse a histórias sobrenaturais.


2ª CAUSA - O CALENDÁRIO E A MOEDA: viver podendo pensar o tempo abstratamente e quantificando valores para realizar trocas não é algo que sempre ocorreu na história da humanidade. Quando os gregos passaram utilizar o calendário e a moeda, introduzida pelos fenícios, conseguiram abstrair valores como símbolo para as coisas, fazendo avançar a capacidade de matematizar e de representação. Tudo isso favoreceu um desenvolvimento mental muito significativo e com grande capacidade de abstração.


3ª CAUSA - A ESCRITA: outro fator que potencializou em grande medida o poder de abstração do homem grego foi transcrever a palavra e o pensamento com símbolos: eis o alfabeto. A escrita permite o pensamento mais aguçado sobre algo quando ficamos lendo e analisando alguma coisa, como, por exemplo, uma lei. Ao ser fixada, a lei fica exposta como um bem comum de toda a cidade, um saber que não é secreto como um saber vinculado ao exercício de um sacerdote, mas propriamente público, além de estabelecer uma nova noção na atividade jurídica, a saber, uma verdade objetiva.


4ª CAUSA - A POLÍTICA: esta é a principal causa para a origem da Filosofia,  já que, até agora, vimos somente a contribuição das técnicas para isso; porém, havia mais recursos técnicos no Oriente que na Grécia, e a Filosofia é uma invenção genuinamente grega, além do Oriente não ter se libertado dos mitos. Note que a palavra política é formada pelo termo grego pólis, cujo significado é cidade, cidade-estado, conjunto de cidadãos que vivem em um mesmo lugar e uma mesma lei. E o mais importante: são os cidadãos que faziam suas próprias leis mediante uma assembléia. Esta prática teve início com os guerreiros que, juntos, discutiam o melhor modo de vencer ao inimigo, cada um dos guerreiros tinha o direito de falar, bastando para isso ir ao centro do círculo formado na assembléia; ao final da guerra, outras assembleias eram feitas para dividir o que foi ganho. Isto é, ocorre a prática do diálogo para a decisão, dando a todos o direito de falar e a condição de serem iguais uns aos outros e à lei partilhada entre eles. Aquele que conseguir convencer a maioria de que sua proposta é a que aproxima-se mais da verdade de como vencer aos inimigos, receberá maior número de votos. Ora, é esta a prática que o filósofo adotou mais tarde: escrevendo ou discursando, tornava pública suas idéias por considerá-las verdadeiras, por pretender encontrar a harmonia perdida do debate entre opiniões divergentes. Debater, trocar opiniões, argumentar, eis a prática democrática, eis a prática filosófica. A Filosofia nasce como uma filha da pólis, como uma filha da democracia.
Eis o que Jean Pierre Vernant chamou de um “universo espiritual da pólis[1]: trata-se de um lugar com proeminência da palavra - a palavra aberta a todos e com igualdade no seu uso era o modo de fazer política; com publicidade - separação entre questões privadas e questões públicas, estabelecendo práticas abertas e democráticas em oposição aos processos secretos; com isonomia – todos eram iguais no exercício do poder e diante das leis que criaram. Além disso, este novo universo espiritual esteve acompanhado e propiciou uma “mutação mental”[2] nos homens: agora era possível explicar o mundo abstratamente excluindo o sobrenatural.
Este novo “universo espiritual da polis” foi determinante para a origem da Filosofia. O que falta sabermos, agora, é porque só algumas pessoas tornaram-se filósofos, e não todas.

[1] VERNANT, Jean-Pierre. As Origens do Pensamento Grego. Tradução de Ísis Borges B. da Fonseca, Rio de Janeiro, 11° edição, 2000, p. 41.
[2] ______. Mito e pensamento entre os gregos: estudos de Psicologia Histórica, p. 453.
Fonte: Professor Ms. Humberto Zanardo Petrelli. (http://www.consciencia.org/)

RESPONDA

QUESTÃO 1 – Como as navegações contribuíram com uma mudança no modo de pensar dos homens da Antiguidade Grega?

QUESTÃO 2 – Como a moeda e o calendário contribuíram com uma mudança no modo de pensar dos homens da Antiguidade Grega? 

QUESTÃO 3 – Por que a política é a principal causa para a origem da Filosofia na Antiguidade Grega?  

QUESTÃO 4 – O que Jean-Pierre Vernant entende por um novo “universo espiritual da pólis”? 

QUESTÃO 5 – As navegações, o calendário e a moeda, a escrita e a política contribuíram com a mudança no modo de pensar dos homens na Antiguidade Grega. Você considera que, hoje, a informática, com a virtualidade, pode está mudando o nosso modo de pensar? Explique. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

DEVER DE CASA - 2ª SÉRIE EM - 17/02/2017

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
ANO: 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA - 16/02/2017

Leia o livro (EDITORA PAZ - Capítulo VI, páginas 191 a 195) ou (EDITORA ESFERA - PARTE 4, Unidade 1, Capítulos 1 e 2, páginas 194 a 206) em seguida responda:

QUESTÃO 9. Qual era o objetivo do estoicismo e em que consistiam suas ideias?  

QUESTÃO 10. Qual a relação dos estoicos com as paixões mundanas ou vícios?   

QUESTÃO 11. Qual é a relação dos estóicos com os bens materiais e com os sofrimentos e os males do mundo?

QUESTÃO 12. O que significa o termo grego apathéia?

QUESTÃO 13. O que pregava o ceticismo? 

QUESTÃO 14. Qual foi a principal consequência do pensamento cético? 

QUESTÃO 15. O que foi o pirronismo?

DEVER DE CASA - 9°ANO ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
SÉRIE: 9° ANO ENSINO FUNDAMENTAL
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA

Leia o texto abaixo e responda as questões propostas.

EFEITOS SOCIAIS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E SOCIEDADE NO SÉCULO XVIII

Revolução Industrial - História Enem
A oficina de um tecelão, 
pintura de Gillis Rombouts, 1656. Museu Frans Hals, Holanda. In: BRAICK, Patrícia Ramos. Estudar história: das origens do homem à era digital. 8º. ano. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2011. p. 82.


            A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento populacional, que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias.
Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no processo de Revolução Industrial do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor. A mão-de-obra disponível em abundância, também favoreceu a Inglaterra, pois havia uma massa de trabalhadores procurando emprego nas cidades inglesas do século XVIII. A burguesia inglesa tinha capital suficiente para financiar as fábricas, comprar matéria-prima e máquinas e contratar empregados. O mercado consumidor inglês também pode ser destacado como importante fator que contribuiu para o pioneirismo inglês. O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionaram o modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de produção.

ALTERAÇÕES SOCIAIS E CONDIÇÕES DE TRABALHO

As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes com péssima iluminação, abafados e sujos. Os salários recebidos pelos trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e feminino. Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal remunerado ou qualquer outro benefício. Quando desempregados, ficavam sem nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.

Em muitas regiões da Europa, os trabalhadores se organizaram para lutar por melhores condições de trabalho. Os empregados das fábricas formaram as trade unions (espécie de sindicatos) com o objetivo de melhorar as condições de trabalho dos empregados. Houve também movimentos mais violentos como, por exemplo, o ludismo. Também conhecidos como "quebradores de máquinas", os ludistas invadiam fábricas e destruíam seus equipamentos numa forma de protesto e revolta com relação à vida dos empregados. O cartismo foi mais brando na forma de atuação, pois optou pela via política, conquistando diversos direitos políticos para os trabalhadores.

A Revolução tornou os métodos de produção mais eficientes. Os produtos passaram a ser produzidos mais rapidamente, barateando o preço e estimulando o consumo. Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento desordenado das cidades também foram consequências nocivas para a sociedade. Até os dias de hoje, o desemprego é um dos grandes problemas nos países em desenvolvimento. Gerar empregos tem se tornado um dos maiores desafios de governos no mundo todo. Os empregos repetitivos e poucos qualificados foram substituídos por máquinas e robôs. As empresas procuram profissionais bem qualificados para ocuparem empregos que exigem cada vez mais criatividade e múltiplas capacidades. Mesmo nos países desenvolvidos tem faltado empregos para a população.

ATIVIDADE PARA CASA

QUESTÃO 1- O que foi a Revolução Industrial?

QUESTÃO 2- Descreva algumas mudanças positivas e negativas trazidas pela Revolução Industrial?

QUESTÃO 3- Cite as condições de trabalho e da vida dos trabalhadores na Revolução Industrial.

QUESTÃO 4- O que foi as chamadas "trade unions"?

QUESTÃO 5(Fei) Podem ser apontadas como características da Revolução Industrial:
A) A substituição da manufatura pela indústria, a invenção da máquina-ferramenta, a progressiva divisão do trabalho e a submissão do trabalhador à disciplina fabril.
B) O aprimoramento do artesanato, a crescente divisão do trabalho, um forte êxodo urbano e o aumento da produção.
C) A substituição do artesanato pela manufatura e o consequente aumento da produção acompanhado pelo recrudescimento da servidão.
D) A total substituição do homem pela máquina e o aumento do nível de vida da classe trabalhadora.
E) A modernização da produção agrícola, o êxodo rural e uma diminuição do nível geral da produção.

QUESTÃO 6- (Fuvest) Identifique, entre as afirmativas a seguir, a que se refere a consequências da Revolução Industrial:
A) redução do processo de urbanização, aumento da população dos campos e sensível êxodo urbano.
B) maior divisão técnica do trabalho, utilização constante de máquinas e afirmação do capitalismo como modo de produção dominante.
C) declínio do proletariado como classe na nova estrutura social, valorização das corporações e manufaturas.
D) formação, nos grandes centros de produção, das associações de operários denominadas "trade unions", que promoveram a conciliação entre patrões e empregados.
E) manutenção da estrutura das grandes propriedades, com as terras comunais, e da garantia plena dos direitos dos arrendatários agrícolas.

QUESTÃO 7- Leia o texto e, a seguir, aponte a alternativa que se adeque à sua interpretação:
“A máquina a vapor, tornando possível o uso da energia em todos os artifícios mecânicos, em quantidades maiores do que qualquer outra coisa conseguiria realizar no passado, foi a chave para tudo o que ocorreu em seguida, sob o nome de Revolução Industrial. A face do mundo mudou mais drasticamente (e mais rapidamente) do que em qualquer outra época desde a invenção da agricultura, cerca de 10 mil anos antes.” (ASIMOV, I. Cronologia das Ciências e das Descobertas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993, p. 395).
A) O autor acentua o caráter prejudicial da máquina a vapor para a agricultura.
B) Segundo o texto, a máquina a vapor foi decisiva para o advento da Revolução Industrial, já que este foi o primeiro dispositivo tecnológico que realizou uma transformação profunda no âmbito da produção.
C) O autor aponta o caráter negativo da mudança drástica e rápida que a Revolução Industrial provocou no mundo contemporâneo.
D) Segundo o texto, a máquina a vapor era eficiente porque funcionava à base de eletricidade.
E) O texto indica que a agricultura, durante 10.000 anos, impediu que a indústria se desenvolvesse.
QUESTÃO 8(Enem 2009) Até o século XVII, as paisagens rurais eram marcadas por atividades rudimentares e de baixa produtividade. A partir da Revolução Industrial, porém, sobretudo com o advento da revolução tecnológica, houve um desenvolvimento contínuo do setor agropecuário. São, portanto, observadas consequências econômicas, sociais e ambientais inter-relacionadas no período posterior à Revolução Industrial, as quais incluem:
A) a erradicação da fome no mundo.
B) o aumento das áreas rurais e a diminuição das áreas urbanas.
C) a maior demanda por recursos naturais, entre os quais os recursos energéticos.
D) a menor necessidade de utilização de adubos e corretivos na agricultura.
E) o contínuo aumento da oferta de emprego no setor primário da economia, em face da mecanização.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dever sobre as Escolas Helenísticas

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
ANO: 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO
DISCIPLINA: FILOSOFIA
ATIVIDADE: DEVER DE CASA – 09/02/2017

Leia o livro (EDITORA PAZ - Capítulo VI, páginas 191 a 195) ou (EDITORA ESFERA - PARTE 4, Unidade 1, Capítulos 1 e 2, páginas 194-206) em seguida responda:

QUESTÃO 1. Em que consiste o pensamento cínico?

QUESTÃO 2. O que significa a palavra Kynos?

QUESTÃO 3. O que significa levar uma vida de cínico de acordo com Diógenes?

QUESTÃO 4. Explique o porquê que Diógenes vivia em um barril.

QUESTÃO 5. O que defendem os epicuristas?

QUESTÃO 6. Diferencie prazer de hedonismo em Epicuro.

QUESTÃO 7. O que significa o termo ataraxia?

QUESTÃO 8. Explique o porquê que Epicuro tinha uma alimentação bastante rígida e moderada?

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Trabalho de Artes

       Os alunos do Colégio Magnum Agostiniano - Unidade Cidade Nova/Nova Floresta - Belo Horizonte, MG apresentaram a galeria da exposição ‘O olhar modernista’, na galeria Belas Artes Magnum. 

        Inspirados em artistas como Tarsila do Amaral, Di Cavalcante, Anita Mafaltti e Oswaldo Goeldi, os alunos do Programa de Artes reproduziram quadros famosos desses artistas, e o resultado ficou incrível! 

       Através do contato com a arte, os alunos conseguem penetrar um campo de infinitas oportunidades, expressar-se e desenvolver a criatividade e a sensibilidade.







sábado, 5 de novembro de 2016

GABARITO ENEM 2016 QUESTÕES DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA


     Mesmo com o adiamento das provas para o dia 03 e 04 de dezembro para cerca de 271 mil alunos, dentre 5 milhões de candidatos inscritos, de acordo com o site do Portal Brasil do Governo Federal, deu início hoje às 13h30min., horário de Brasília, ao primeiro dia da maratona para o Exame Nacional do Ensino Médio, o famoso ENEM 2016. 
     Como já é tradição no Blog Pensar destacar aqui as questões de Filosofia e Sociologia da Prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias do ENEM 2016. Para tal, selecionamos imagens do caderno branco, observamos que o gabarito é extraoficial.


Filosofia - D) autonomia do sujeito pensante.


Filosofia - C) discussões de base ontológica.


Filosofia - A) dinâmica social contraditória.


Sociologia - B) sobrevivência de gerações futuras. 



Filosofia - C) defender a indiferença e a impossibilidade de obter alguma certeza.

                          
                         Sociologia - A) qualificação de serviços públicos em bairros periféricos.


                        Sociologia - D) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.


Filosofia - D) destaca a decadência da cultura.


                         Sociologia - C) impacto da tecnologia e as modificações na estrutura produtiva.


Filosofia - A) consciência de si e angústia humana.

                             
                                  Sociologia - D) manutenção de estereótipos de gênero.
  

Filosofia - B) administração da dependência interior.


Filosofia - E) ilusão da contemporaneidade.


terça-feira, 18 de outubro de 2016

A alegoria da Caverna ou Mito da Caverna de Platão - obra: A República, Livro VII (514a - 517c)

A alegoria da caverna de Platão


                      Alegoria de Platão da caverna B + W clara, por John D'Alembert. 
                                                                            Traduzido em português 


Texto:. A alegoria da caverna  PLATÃO. A República, Livro VII. (514a-517c)

Sócrates: Agora imagine um Nossa Natureza, Segundo o grau de
Educação Que Ela recebeu OU NÃO, de according com o Quadro Que vou
Fazer. Imagine-se, pois, Homens Que Vivem em Uma morada Subterrânea
em forma de caverna. A entrada se abre para á luz Em Toda a Largura
da fachada. Homens OS estao sem from interior a infância,
acorrentados Pelas Pernas e cabelo Pescoço, de MoDo Que NÃO PODEM
Mudar de lugar NEM voltar a Cabeça para Ver algo that NÃO esteja
Diante Deles. A luz lhes VEM de hum fogo Que Queima POR Trás Deles, AO
longe, nenhum alto. Entre OS prisioneiros EO fogo, há hum Caminho that
sobe. Imagine that Esse Caminho E cortado Por Um Pequeno muro,
semelhante Ao tapume Que OS exibidores de Marionetes dispoem between
ELES EO Público, Acima do manobram qua como Marionetes e
apresentam o ESPETÁCULO.

Glauco: entendo

Sócrates: entao, AO Longo Desse Pequeno muro, imagine Homens that
carregam Todo o tipo de Objetos FABRICADOS, ultrapassando a altura fazer
muro; Estátuas de Homens, figuras de animais, de pedra, OU madeira
QUALQUÉR material de Outro. Provavelmente, Entre OS Carregadores that
desfilam Ao Longo do muro, Alguns Falam, Outros se Calam.

Glauco: Estranha Descrição e Estranhos prisioneiros!

Sócrates: ELES São semelhantes a NOS. Primeiro, rápido Você PENSA Que, na
Situação Deles, enguias tenham visto Algo Mais Que fazer como sombras de si
mesmos e dos Vizinhos Que o fogo Projeta na Parede da caverna A SUA
frente?

Glauco: Como ISSO Possível seria, se Durante Toda a Vida enguias estao
Condenados a Ficar com a Cabeça Imóvel?

Sócrates: Não Acontece o MESMO COM OS Objetos that desfilam?

Glauco: É claro.

Sócrates: entao, se they pudessem conversar, Não acha that,
nomeando como sombras Que veem, pensariam nomear Seres reais?
Glauco: Evidentemente.

Sócrates: E se, Disso Alem, houvesse hum eco vindo da Parede Diante
Deles, Quando hum dos that Passam Ao Longo do Pequeno muro falasse,
NÃO acha that they tomariam ESSA voz Pela sombra da that desfila à
SUA frente?

Glauco: Sim, Por Zeus.

Sócrates: ASSIM Sendo, OS Homens Que estao nessas condições NÃO
poderiam considerar nada Verdadeiro como, um Ser NÃO como sombras dos
Objetos FABRICADOS.

Glauco: Não poderia Ser de Outra forma.

Sócrates: Veja Agora O Que aconteceria se they fossem libertados de
SUAS Correntes e curados de SUA desrazão. Tudo aconteceria NÃO
Naturalmente Como vou Dizer? Se hum Desses Homens fosse solto,
Forcado subitamente a Levantar-se, a virar a Cabeça, um andar, um Olhar
Para o Lado da Luz, todos sos Movimentos o fariam sofrer; ficaria ELE
ofuscado e NÃO poderia distinguir OS Objetos, dos Quais via APENAS como
sombras anteriormente. Na sua opinião, O Que ELE poderia responder
SE LHE dissessem that, pingos, ELE lo através de coisas sem Consistencia, that
Agora ELE ESTÁ Mais Perto da Realidade, voltado parágrafo Objetos Mais
reais, e Que ESTÁ vendo melhor? O Que ELE responderia se LHE
designassem Cada hum dos Objetos that desfilam, obrigando-o com
Perguntas, um Dizer O Que São? De: Não acha Que ELE ficaria Embaraçado e
Que como sombras Que ELE via pingos LHE pareceriam Mais verdadeiras fazer
Que OS Objetos Que LHE mostram ágora?

Glauco: Certamente, ELAS LHE pareceriam Mais verdadeiras.

Sócrates: E se o forçassem um Olhar Para a Própria Luz, Não Achas Que
Os Olhos LHE doeriam, that ELE viraria como costas e voltaria Pará como
Coisas que PODE Olhar e that como consideraria verdadeiramente Mais
nítidas fazer that como Coisas que LHE mostram?

Glauco: Sem Dúvida Alguma.
Sócrates: E se o tirarem de la à Força, se o fizessem subir o Íngreme
Caminho montanhoso, se NÃO o largassem Até Arrasta-lo parágrafo a Luz do
sol, ELE NÃO sofreria e se irritaria Ao Ser ASSIM empurrado parágrafo fóruns? E,
Chegando à luz, com Os Olhos ofuscados cabelo brilho, Não seria Capaz
de ver Nenhum Desses Objetos, that NÓS afirmamos ágora Serem
verdadeiros.

Glauco: ele NÃO podera VE-los, cabelo Menos nsa Primeiros momentos.

Sócrates: é Preciso Que ELE se habitue, para quê ver POSSA como Coisas
Do Alto. Primeiro, ELE distinguirá Mais fácilmente como sombras, DEPOIS,
como Imagens dos Homens e dos Outros Objetos refletidas na Água,
DEPOIS OS PROPRIOS Objetos. Em Segundo lugar, DURANTE A Noite, ELE
contemplar podera como Constelações EO PRÓPRIO Céu, e voltar o Olhar
Para uma luz de dos astros e da lua Mais fácilmente that Durante o dia PARA O
sol e Pará a luz do sol.

Glauco: Sem Dúvida.

Sócrates: Finalmente, ELE podera contemplar o sol, Não o Seu Reflexo
NAS Águas UO em Outra superficie lisa, mas o PRÓPRIO sol, nenhum lugar fazer
sol, o sol tal Como E.

Glauco: Certamente.

Sócrates: DEPOIS Disso, podera raciocinar a Respeito do sol, concluir
Que É ELE Que Produz como Estações e OS anos, Que Governa Tudo sem
Mundo Visível, e Que É, de Algum Modo uma causa de Tudo O Que ELE e
companheiros SEUS viam na caverna.

Glauco: É indubitável Que ELE chegará a ESSA CONCLUSÃO.

Sócrates: Nesse momento, se ELE SE Lembrar de SUA Primeira morada,
da Ciência Que ali se possuía e de SEUS Antigos companheiros, Não
Acha Que ficaria feliz com uma Mudança e térios pena Deles?

Glauco: Claro que sim.

Sócrates: Quanto às honras e louvores that they se atribuíam
mutuamente outrora, Quanto às recompensas concedidas Aquele that 
fosse dotado de Uma Visão Mais aguda Para discernir a Passagem das
sombras na Parede e de Uma Memória Mais fiel Pará se Lembrar com
exatidão daquelas that precedem Certas OUTRAS UO Que lhes sucedem,
como that VEM juntas, e Que, MESMO POR ISSO, era o Mais hábil Pará
conjeturar um Viria DEPOIS Que, acha Que Nosso homem térios inveja DELE,
Que como honras ea Confiança ASSIM adquiridas Entre OS companheiros
inveja dariam LHE? ELE NÃO pensaria Antes, Como O Herói de Homero,
Que Vale Mais "viver Como escravo de hum lavrador" e suportar
QUALQUÉR provação fazer that voltar à Visão ilusória da caverna e viver
Como se vive la?

Glauco: Concordo com Voce. ELE aceitaria QUALQUÉR provação parágrafo NÃO
viver Como se vive la.

Sócrates: Reflita AINDA nisto: suponha that Esse homem volte à
caverna e retome o Seu Antigo lugar. Desta vez, Não seria Pelas trevas
Que ELE térios Os Olhos ofuscados, AO vir diretamente do sol?

Glauco: Naturalmente.

Sócrates: E se ELE tivesse that emitir de novo hum Juízo Sobre as
sombras e ENTRAR em Competição com OS prisioneiros that continuaram
acorrentados, enquanto SUA vista AINDA ESTÁ confusa, SEUS Olhos AINDA
Não Se recompuseram, enquanto LHE Deram hum demais ritmo Curto
Para acostumar-se com a Escuridão, ELE NÃO ficaria ridículo? Os
prisioneiros NÃO diriam Que, DEPOIS de ter ido Ate O alto, voltou com um
vista perdida, that NÃO vale MESMO uma Até la Pena subir? E se Alguém
tentasse retirar OS SEUS Laços, faze-los subir, Você acredita Que, se
pudessem agarrá-lo e executá-lo, Não o matariam?

Glauco: Sem Dúvida Alguma, enguias o matariam.

Sócrates: E Agora, meu caro Glauco, é Preciso aplicar exatamente
ESSA alegoria Ao that dissemos anteriormente. Devemos assimilar o
Mundo Que apreendemos Pela vista à estada na Prisão, a luz do Fogo
Que Ilumina uma caverna à Ação do sol. Quanto à subida e à
Contemplação fazer that há nenhum alto, consideră Que Se trata da Ascensão
da Alma comeu o lugar inteligível, e Não Te enganarás Sobre Minha
Esperança, JA Que desejas Conhece-la. Deus SABE se há Alguma
possibilidade de Que ELA SEJA Fundada Sobre a Verdade. Em Todo o 
Caso eis o que me Aparece tal como me Aparece; Nos Últimos limites
Do Mundo inteligível Aparece-me a Idéia do Bem, Que se Percebe com
dificuldade, mas Que Não Se PODE ver sem concluir Que Ela É uma causa
de Tudo O Que há de reto e de belo. Não Visível Mundo, gera ELA a luz e
o senhor da luz, no Mundo inteligível Ela Própria E uma soberana that
dispensa a Inteligência Verdade ea. Acrescento Que é Preciso VE-la se
Quer comportar-se com Sabedoria, SEJA na vida privada, SEJA na vida
pública.

Glauco: Tanto Quanto sou Capaz de Compreender-te, concordo  contigo.

REFERÊNCIAS:

A Alegoria da Caverna: A República, 514a-517c Tradução de Lucy
Magalhães.In: MARCONDES, Danilo. Textos Básicos de Filosofia: dos Pré-
socráticos a Wittgenstein. 2ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

PLATÃO. A República. (Trad. Enrico Corvisieri) São Paulo: Nova Cultural, 1999. (Col. Os Pensadores).





terça-feira, 4 de outubro de 2016

RANKING ENEM 2015 POR ESCOLAS

O MEC divulgou nesta terça, 04 de Outubro, o ranking ENEM 2015 por Escolas, o Colégio Magnum Agostiniano (Unidade Cidade Nova) de Belo Horizonte MG saiu em primeiro lugar, veja a lista abaixo:

1º OBJETIVO COLEGIO INTEGRADO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 751,29
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 41 / Alunos participantes: 41

2º INST DOM BARRETO (Teresina/PI)
MÉDIA GERAL: 717,82
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 129 / Alunos participantes: 124

3º FIBONACCI COLEGIO (Ipatinga/MG)
MÉDIA GERAL: 714,94
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 44 / Alunos participantes: 43

4º VERTICE COLEGIO UNIDADE II (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 710,68
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 77 / Alunos participantes: 75

5º FARIAS BRITO COLEGIO PRE-VESTIBULAR CENTRAL (Fortaleza/CE)
MÉDIA GERAL: 708,16
Rede: Privada
NSE*: Alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 95 / Alunos participantes: 90

6º COLEGIO IPIRANGA (Petrópolis/RJ)
MÉDIA GERAL: 706,93
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 44 / Alunos participantes: 41

7º MOBILE COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 706,69
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 146 / Alunos participantes: 124

8º COLEGIO SANTO ANTONIO (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 706,49
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 256 / Alunos participantes: 251

9º COLEGUIUM (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 705,38
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 25 / Alunos participantes: 25

10º COL OLIMPO (Brasília/DF)
MÉDIA GERAL: 704,95
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 77 / Alunos participantes: 73

11º COLEGIO SANTA MARCELINA (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 701,61
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 55 / Alunos participantes: 55

12º COLEGIO MAGNUM AGOSTINIANO - NOVA FLORESTA (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 698,62
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 188 / Alunos participantes: 185

13º COLEGIO COGNITIVO (Recife/PE)
MÉDIA GERAL: 695,68
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 84 / Alunos participantes: 84

14º COLEGIO POSITIVO ENSINO MEDIO - SEDE (Curitiba/PR)
MÉDIA GERAL: 694,13
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 67 / Alunos participantes: 62

15º COLEGIO SANTO AGOSTINHO (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 693,98
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 283 / Alunos participantes: 276

16º COL DE SAO BENTO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 693,81
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 75 / Alunos participantes: 74

17º EDUCANDARIO SANTA MARIA GORETTI (Teresina/PI)
MÉDIA GERAL: 692,72
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 65 / Alunos participantes: 65

18º OBJETIVO INTEGRADO DE MOGI DAS CRUZES COLEGIO (Mogi das Cruzes/SP)
MÉDIA GERAL: 690,85
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 50 / Alunos participantes: 50

19º COLEGIO SANTO AGOSTINHO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 690,62
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 165 / Alunos participantes: 163

20º COL DE APLICACAO DA UFV - COLUNI (Viçosa/MG)
MÉDIA GERAL: 690,52
Rede: Federal
NSE*: Alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 160 / Alunos participantes: 154

21º UFSM - COLEGIO POLITECNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL SANTA MARIA (Santa Maria/RS)
MÉDIA GERAL: 690,26
Rede: Federal
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 34 / Alunos participantes: 34

22º COLEGIO SANTO AGOSTINHO UNIDADE NOVA LIMA (Nova Lima/MG)
MÉDIA GERAL: 689,98
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 87 / Alunos participantes: 82

23º COLEGIO WR (Goiânia/GO)
MÉDIA GERAL: 688,2
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 286 / Alunos participantes: 278

24º SANTA CRUZ COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 688,12
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 233 / Alunos participantes: 204

25º COLEGIO LEROTE LTDA (Teresina/PI)
MÉDIA GERAL: 687,7
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 20 / Alunos participantes: 20

26º COLEGIO SANTO INACIO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 684,38
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 231 / Alunos participantes: 229

27º COLEGIO HELYOS (Feira de Santana/BA)
MÉDIA GERAL: 684,15
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 46 / Alunos participantes: 44

28º LICEU DE ARTES E OFICIOS DE SAO PAULO ESCOLA TECNICA (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 683,99
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 38 / Alunos participantes: 38

29º BANDEIRANTES COLEGIO EFM (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 683,5
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 486 / Alunos participantes: 431

30º PORTO SEGURO VISCONDE COLEGIO UNIDADE II (Valinhos/SP)
MÉDIA GERAL: 681,99
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 78 / Alunos participantes: 63

31º ANGLO - LEONARDO DA VINCI COLEGIO (Taboão da Serra/SP)
MÉDIA GERAL: 681,77
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 14 / Alunos participantes: 13

32º COLEGIO SAGRADO CORACAO DE MARIA (Vitória/ES)
MÉDIA GERAL: 681,37
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 30 / Alunos participantes: 30

33º VILLARE COLEGIO (São Caetano do Sul/SP)
MÉDIA GERAL: 679,5
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 28 / Alunos participantes: 26

34º LEONARDO ANGLO COLEGIO (Barueri/SP)
MÉDIA GERAL: 679,29
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 70 / Alunos participantes: 62

35º COLEGIO EQUIPE (Recife/PE)
MÉDIA GERAL: 679,2
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 98 / Alunos participantes: 95

36º INSTITUTO GAYLUSSAC - ENS FUNDAMENTAL E MEDIO (Niterói/RJ)
MÉDIA GERAL: 678,27
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 74 / Alunos participantes: 72

37º COLEGIO DE APLICACAO DO CE DA UFPE (Recife/PE)
MÉDIA GERAL: 677,84
Rede: Federal
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 57 / Alunos participantes: 55

38º LICEU JARDIM (Santo André/SP)
MÉDIA GERAL: 677,53
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 97 / Alunos participantes: 93

39º COLEGIO CRUZEIRO-CENTRO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 677,42
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 114 / Alunos participantes: 114

40º COLEGIO CRUZEIRO - JACAREPAGUA (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 676,52
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 74 / Alunos participantes: 72

41º EMBRAER JUAREZ WANDERLEY COLEGIO (São José dos Campos/SP)
MÉDIA GERAL: 676,34
Rede: Privada
NSE*: Alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 160 / Alunos participantes: 160

42º COLEGIO SAO JOAO BATISTA NOVA FRIBURGO (Nova Friburgo/RJ)
MÉDIA GERAL: 676,13
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 23 / Alunos participantes: 23

43º AGOSTINIANO MENDEL COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 675,81
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 259 / Alunos participantes: 252

44º COLEGIO LOYOLA (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 674,99
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 172 / Alunos participantes: 164

45º ALBERT SABIN COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 674,87
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 134 / Alunos participantes: 125

46º COLEGIO SANTO AGOSTINHO - NL (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 674,33
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 192 / Alunos participantes: 191

47º ETAPA COLEGIO (Valinhos/SP)
MÉDIA GERAL: 674,23
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 154 / Alunos participantes: 146

48º COLEGIO SANTA DOROTEIA (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 672,81
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 179 / Alunos participantes: 166

49º COLEGIO CIENCIAS APLICADAS (Natal/RN)
MÉDIA GERAL: 672,79
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 70 / Alunos participantes: 70

50º MATER AMABILIS COLEGIO (Guarulhos/SP)
MÉDIA GERAL: 672,64
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 98 / Alunos participantes: 95

51º ANBEAS - COLEGIO SAGRADO CORACAO DE JESUS (Teresina/PI)
MÉDIA GERAL: 672,45
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 101 / Alunos participantes: 95

52º CE LEONARDO DA VINCI (Vitória/ES)
MÉDIA GERAL: 672,42
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 99 / Alunos participantes: 94

53º SAO CARLOS INSTITUTO EDUCACAO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MEDIO (São Carlos/SP)
MÉDIA GERAL: 670,63
Rede: Privada
NSE*: Sem informação
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 31 / Alunos participantes: 31

54º OBJETIVO JUNIOR COLEGIO (Taubaté/SP)
MÉDIA GERAL: 669,8
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 20 / Alunos participantes: 20

55º UIRAPURU COLEGIO (Sorocaba/SP)
MÉDIA GERAL: 668,9
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 77 / Alunos participantes: 70

56º COLEGIO ACESSO (Feira de Santana/BA)
MÉDIA GERAL: 668,85
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 61 / Alunos participantes: 59

57º PROGRESSO CAMPINEIRO COLEGIO (Campinas/SP)
MÉDIA GERAL: 668,84
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 46 / Alunos participantes: 46

58º SIDARTA COLEGIO (Cotia/SP)
MÉDIA GERAL: 668,39
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 16 / Alunos participantes: 13

59º COL IMPULSO (Sete Lagoas/MG)
MÉDIA GERAL: 668,22
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 101 / Alunos participantes: 99

60º COLEGIO SANTA CATARINA (Juiz de Fora/MG)
MÉDIA GERAL: 668
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 149 / Alunos participantes: 146

61º COLEGIO LUMIERE (Dourados/MS)
MÉDIA GERAL: 667,84
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 36 / Alunos participantes: 33

62º COLEGIO BERTONI (Foz do Iguaçu/PR)
MÉDIA GERAL: 666,98
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 63 / Alunos participantes: 51

63º LEONARDO DA VINCI COLEGIO ANGLO (Osasco/SP)
MÉDIA GERAL: 666,58
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 69 / Alunos participantes: 67

64º ARI DE SA CAVALCANTE SEDE ALDEOTA COLEGIO (Fortaleza/CE)
MÉDIA GERAL: 666,07
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 216 / Alunos participantes: 209

65º COL MARILIA MATTOSO (Niterói/RJ)
MÉDIA GERAL: 665,78
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 22 / Alunos participantes: 22

66º RECANTO INF IMACULADA CONCEICAO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 665,26
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 54 / Alunos participantes: 54

67º ETAPA COLEGIO DE EFM (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 664,9
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 516 / Alunos participantes: 488

68º ESCOLA SAO DOMINGOS (Vitória/ES)
MÉDIA GERAL: 664,34
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 102 / Alunos participantes: 97

69º COLEGIO SAO VICENTE DE PAULO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 663,9
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 102 / Alunos participantes: 102

70º GERMINARE ESCOLA (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 662,97
Rede: Privada
NSE*: Sem informação
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 72 / Alunos participantes: 68

71º ANGLO LEONARDO DA VINCI COLEGIO (Carapicuíba/SP)
MÉDIA GERAL: 662,8
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 21 / Alunos participantes: 20

72º COLEGIO SANTO AGOSTINHO-UNIDADE CONTAGEM (Contagem/MG)
MÉDIA GERAL: 661,76
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 83 / Alunos participantes: 80

73º COLEGIO MARISTA DOM SILVERIO (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 661,58
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 200 / Alunos participantes: 197

74º POLIEDRO COLEGIO (São José dos Campos/SP)
MÉDIA GERAL: 661,07
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 452 / Alunos participantes: 413

75º COLEGIO JAO LTDA (Goiânia/GO)
MÉDIA GERAL: 660,96
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 72 / Alunos participantes: 70

76º CENTRO EDUCACIONAL LOGOS LTDA (Nova Iguaçu/RJ)
MÉDIA GERAL: 660,83
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 23 / Alunos participantes: 22

77º CENTRO DE EDUCACAO INTEGRADA LTDA - ROMUALDO (Natal/RN)
MÉDIA GERAL: 660,81
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 104 / Alunos participantes: 99

78º ESCOLAS IDAAM (Manaus/AM)
MÉDIA GERAL: 659,29
Rede: Privada
NSE*: Alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 25 / Alunos participantes: 23

79º ESCOLA PREPARATORIA DE CADETES DO AR (Barbacena/MG)
MÉDIA GERAL: 659,14
Rede: Federal
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 144 / Alunos participantes: 139

80º COLEGIO DELTA - ANAPOLIS (Anápolis/GO)
MÉDIA GERAL: 658,89
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 111 / Alunos participantes: 101

81º COLEGIO VISAO (Goiânia/GO)
MÉDIA GERAL: 658,36
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 300 / Alunos participantes: 279

82º MAGNO COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 658,28
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 41 / Alunos participantes: 39

83º PALMARES COLEGIO EFM (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 657,88
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 75 / Alunos participantes: 61

84º COLEGIO PROCAMPUS (Teresina/PI)
MÉDIA GERAL: 657,64
Rede: Privada
NSE*: Alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 16 / Alunos participantes: 14

85º COL FRANCO BRASILEIRO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 657,1
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 56 / Alunos participantes: 55

86º COL TERESIANO (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 657,09
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 77 / Alunos participantes: 75

87º COLEGIO PH (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 656,99
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 254 / Alunos participantes: 241

88º COLEGIO ANCHIETA (Salvador/BA)
MÉDIA GERAL: 656,96
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 326 / Alunos participantes: 315

89º SAO PAULO ETEC DE (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 656,62
Rede: Estadual
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 160 / Alunos participantes: 154

90º COLEGIO FAZER CRESCER - ENSINO MEDIO (Recife/PE)
MÉDIA GERAL: 656,52
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 41 / Alunos participantes: 38

91º COLEGIO UNIAO DE ENSINO INFANTIL FUNDAMENTAL E MEDIO - COOPEC TC (Três Corações/MG)
MÉDIA GERAL: 656,4
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 34 / Alunos participantes: 34

92º COL ANDREWS (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 656,03
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 46 / Alunos participantes: 46

93º ESCOLA PARQUE (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 655,72
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 121 / Alunos participantes: 118

94º PORTO SEGURO VISCONDE COLEGIO (São Paulo/SP)
MÉDIA GERAL: 655,02
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 174 / Alunos participantes: 143

95º COLEGIO SANTA MARIA CORACAO EUCARISTICO (Belo Horizonte/MG)
MÉDIA GERAL: 654,84
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 91 / Alunos participantes: 85

96º MONTEIRO LOBATO COLEGIO (Mogi Guaçu/SP)
MÉDIA GERAL: 654,82
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 21 / Alunos participantes: 18

97º ESC SERVITA REGINA PACIS (Carangola/MG)
MÉDIA GERAL: 654,74
Rede: Privada
NSE*: Alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 14 / Alunos participantes: 14

98º ESC MODELAR CAMBAUBA (Rio de Janeiro/RJ)
MÉDIA GERAL: 654,65
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 55 / Alunos participantes: 53

99º LEONARDO DA VINCI COLEGIO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MEDIO (Jundiaí/SP)
MÉDIA GERAL: 654,31
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 119 / Alunos participantes: 116

100º CED SIGMA (Brasília/DF)
MÉDIA GERAL: 654,22
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: De 60% a 80%
Total de alunos: 408 / Alunos participantes: 390

101º COMUNITARIA DE CAMPINAS ESCOLA (Campinas/SP)
MÉDIA GERAL: 654,09
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Índice de permanência: 80% ou mais
Total de alunos: 78 / Alunos participantes: 72

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho