domingo, 7 de dezembro de 2014

Unesco quer educação para o desenvolvimento sustentável no currículo das escolas

Conferência Mundial sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável tem início no Japão

Ao som de tambores tradicionais japoneses e as vozes das crianças que falam sobre o desenvolvimento sustentável, a Conferência Mundial da UNESCO sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) começou hoje, 10/11/2014, em Nagoya, no Japão. O evento de três dias irá rever as realizações da Década das Nações Unidas para a EDS (2005-14) e traçar o novo Programa de Ação Global. O evento conta com mais de mil participantes e a presença de 75 Ministros de Estado, aproximadamente.

Organização incluirá o tema na agenda global 2015-2030 que a ONU vai discutir
NAGOIA, Japão – A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) quer que a chamada educação para o desenvolvimento sustentável faça parte da nova agenda de compromissos globais que será estabelecida pelas Nações Unidas no período 2015-2030. Empenhados em traçar estratégias para que escolas de todo o planeta adotem conceitos de sustentabilidade em seus currículos, 1.100 representantes de 148 países passaram os últimos três dias reunidos em Nagoia, no Japão. Eles concluíram que formar professores e mobilizar a juventude são ações urgentes.
– Não há plano B, porque não existe planeta B – resumiu o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, em mensagem de vídeo exibida aos participantes da Conferência Mundial da Unesco sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável.
A conferência terminou nesta quarta-feira com uma declaração que não define fontes de recursos para financiar ações nos países subdesenvolvidos, apontados como as principais vítimas dos impactos das mudanças climáticas – seja na produção de alimentos ou na intensificação de desastres naturais, incluindo enchentes e secas. A declaração limita-se a convidar os países-membros da Unesco “a alocar e mobilizar recursos substanciais para traduzir políticas em ações”.
O diretor-geral adjunto de Educação da Unesco, Qian Tang, disse que seria prematuro neste momento tratar da criação de um fundo internacional para bancar ações de Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD, na sigla em inglês). Segundo ele, esse é um debate que deverá ocorrer a partir do ano que vem, na definição de uma agenda global pós-2015.
A conferência em Nagoia marcou o fim da Década das Nações Unidas de Educação para o Desenvolvimento Sustentável, iniciada em 2005. Tal como a imagem de um copo com água pela metade, um balanço dos avanços nos últimos dez anos pode destacar a metade cheia ou vazia do copo, já que 50% dos países declararam ter políticas específicas para tratar do assunto e outros 50%, não.
A realidade, porém, é mais desafiadora. Um dos obstáculos enfrentados pela ESD é o vasto desconhecimento do tema por parte da população:
– Somente 20% dos japoneses sabem o que é ESD. As pessoas pensam que é algo muito sofisticado – disse o ministro da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão, Habukun Shimomura.
A agenda global pós-2015 será definida no âmbito das Nações Unidas, dando continuidade aos chamados Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Esses objetivos foram traçados em 2000, com metas de redução de pobreza e melhoria de indicadores sociais até 2015.
Durante os três dias da conferência em Nagoia, ficou claro o vasto espectro de ações que se encaixam no conceito de ESD. Da dimensão macroeconômica que envolve padrões mundiais de consumo, transporte e produção de energia à decisão individual de um estudante que evita imprimir trabalhos escolares. Nesse sentido, quase tudo relacionado à sustentabilidade – a noção de que as atuais gerações têm o compromisso de manter o mundo habitável para as gerações futuras – pode encaixar-se no conceito de ESD. Não à toa, não havia copos descartáveis na conferência – água e café eram servidos em xícaras de vidro ou copos de plástico duro reutilizáveis.

Estudantes e professor de BH são únicos brasileiros em evento da Unesco no Japão

Delegação participou de evento voltado para desenvolvimento sustentável. Mata da Mutuca foi pauta

Entre os representantes brasileiros no evento, estavam quatro estudantes e um professor do Colégio Magnum Agostiniano, de Belo Horizonte. Eles foram selecionados pela Unesco para participar de uma conferência preliminar de jovens de 33 países, em Okayama, na semana passada. Depois, seguiram para a conferência em Nagoia.

O Colégio Magnum, um escola particular que cobra mensalidades de R$ 1.080, recicla o papel usado na escola. Cada sala de aula tem uma lixeira específica para isso, e a atividade garante o sustento da pessoa responsável por recolher o papel. Batizado de Magnum Sustentável, o projeto conta com a participação de alunos.
É o caso de Nádia Eliza, de 16 anos, aluna do 2º ano do ensino médio. Ela concedeu entrevista coletiva ao lado de estudantes de outros países durante a conferência. Nádia contou que a prefeitura de Belo Horizonte não realiza coleta seletiva na área onde fica a escola, mas isso não impediu o colégio de encontrar uma solução sustentável para parte do lixo que produz.
Bernardo Nicolau, de 17 anos e também aluno do 2º ano do ensino médio, participou de uma das sessões da conferência, ao lado de especialistas em educação de diferentes países. Como representante da juventude, ele arrancou aplausos da plateia de mais de 500 pessoas e foi citado na cerimônia de encerramento.

– O que devemos aprender em nossas escolas é que podemos mudar o mundo – disse Bernardo.
Acompanhados pelo professor de geografia Leonardo Luiz Silveira da Silva, os estudantes brasileiros queriam uma declaração mais arrojada por parte dos jovens que participaram da reunião preliminar. O texto final aprovado em Okayama, segundo eles, ficou vago:
– O conteúdo desse documento é muito vago. Se a gente que quer mudanças incisivas chega lá e não consegue, fico imaginando como é quando envolve a política – disse Maria Karolina Matarelli, de 16 anos, apoiada pelo colega de escola Rodrigo de Brito Prates.
O governo brasileiro enviou a Nagoia técnicos do Ministério da Educação (MEC), do Ministério do Meio Ambiente e do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. O país tem desde 1999 uma política nacional de educação ambiental e já realizou conferências nacionais sobre o tema. Em 2012, o Conselho Nacional de Educação aprovou diretrizes curriculares. O MEC discute atualmente a criação do Programa Nacional Escolas Sustentáveis, que reuniria as ações ligadas ao tema. Uma delas, iniciada no ano passado, repassa de R$ 8 mil a R$ 14 mil para e escolas da rede pública possam desenvolver atividades ligadas à sustentabilidade.
A diretora de Programas da Secretaria-Executiva do MEC, Jaana Flávia Fernandes Nogueira, gostou do que viu em Nagoia. Ela destacou uma publicação do governo do Japão com experiências exitosas de ESD em escolas japonesas:
– A gente também quer mapear as nossas experiências exitosas. Precisamos disseminar a cultura de que a ESD começa com a atitude das pessoas. São pequenas ações – disse Jaana.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Demétrio Weber. Jornal O Globo. disponível em Acesso 13 de Novembro 2014.
UNESCO. Disponível em Acesso 11 de Novembro de 2014.
Júnia Oliveira  Jornal Estado de Minas. Disponível em Acesso 13 de Dezembro de 2014.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

PROJETO INTERCIÊNCIA 2014 - QUESTÕES DE FILOSOFIA & SOCIOLOGIA CRIADA PELOS ALUNOS DO COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO


COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO 
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
PROJETO INTERDISCIPLINAR: INTERCIÊNCIA 2014 - TEMA: HUMANIDADES.
QUESTÕES DE FILOSOFIA & SOCIOLOGIA 
CONTEÚDO: LETRAS DE FUNK E O PRECONCEITO AS LETRAS DE FUNK 



HABILIDADE DO ENEM:

H23 - Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades.

QUESTÃO 1. Leia atentamente os dois textos seguintes:

Texto 1:  Trecho da  Declaração Universal dos Direitos do Homem, artigo 29, inciso 2:

          “No exercício deste direito e no gozo destas liberdades ninguém está sujeito senão às limitações estabelecidas pela lei com vista exclusivamente a promover o reconhecimento e o respeito dos direitos e liberdades dos outros e a fim de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem–estar numa sociedade democrática.”

Texto 2:    

                    Figura 1: O desrespeito e o preconceito

                

A partir das suas interpretações e análises, assinale a alternativa que os relaciona de forma correta:

A) A mulher representada na charge apresentou uma postura preconceituosa, pois o garoto, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos do Homem, apresenta o direito de ouvir o gênero musical que gosta em volume alto incluído em suas liberdades individuais.
B) O garoto da charge deve ser respeitado, como indivíduo, ou seja, a discriminação de sua pessoa ou do gênero musical por ele apreciado não deve ocorrer. Porém, a partir do momento em que a liberdade individual influencia negativamente na liberdade coletiva, torna-se uma falta de respeito, o que justifica a fala da mulher.
C) A fala do garoto apresenta um caráter preconceituoso e desrespeitoso, pois ao dizer que “Não é música. É funk!”, está rebaixando o gênero. Esse pensamento é contraditório ao inciso da Declaração dos Direitos Humanos, que defende o respeito ao outro e suas liberdades.
D) A atitude da mulher demonstra incômodo com o gênero, enquanto o garoto não se preocupa com o bem-estar de quem está ao seu redor. Isso endossa o que foi dito na Declaração dos Direitos Universais do Homem, afirmando que as liberdades e pensamentos individuais se sobrepõem às coletivas.
E) Tanto a mulher quanto o garoto da charge apresentam posturas incorretas, pois estão priorizando as suas liberdades individuais. Isso vai contra a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que afirma que as liberdades coletivas são as únicas que devem ser levadas em consideração no convívio em sociedade.

HABILIDADES DO ENEM:

H23 - Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades. 

H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.

QUESTÃO 2. Leia os textos abaixo:

Texto I:
                      
                              Fig.2: O preconceito contra as letras de funk
          Disponível em  Acesso em 30 de Novembro de 2014.

Texto II:

“Se a luta feminista defende a liberdade sobre seu corpo, igualdade de direitos e a quebra dos padrões de beleza vê-se na funkeira a materialização dessas lutas. Se por um lado ela não se vale de teóricos para inserir essas discussões, é por meio de uma linguagem simplificada e bastante explícita que se questiona o papel do homem e se resignifica a mulher”.

A partir da leitura dos textos, julgue os itens a seguir e marque a alternativa correta:

I) As mulheres que participam de bailes funk desconhecem métodos anticoncepcionais;
II) Apenas as mulheres que vão a shows de rock respeitam seu corpo;
III) O funk é uma expressão cultural legítima da sociedade;
IV) A mulher tem direito de usar seu corpo como quiser, e o funk representa essa liberdade;
V) O feminismo defende que as mulheres frequentem apenas aos shows de rock.

Estão corretos o(s) iten(s):

A) I, III e IV.
B) II e IV.
C) III e IV.
D) II e III.
E)  I, II, III e IV.


HABILIDADE DO ENEM:

H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.

QUESTÃO 3. Leia os textos abaixo e marque a alternativa mais coerente:

Texto I:

“ Impressionante o nível de preconceito musical do brasileiro. Quando eu estudava música na Universidade Católica de Salvador fui comprar dois discos. Pedi a quinta sinfonia de Beethoven e não aconteceu nada, mas, quando pedi um disco de Waldick Soriano, Três moçoilas me olharam tão agressivamente, que pensei que ia apanhar”.
Disponível em <http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3580873> Acesso em 10 de Outubro de 2014.

Texto II:                                                
Fig. 3: A Carapuça serve em todos.



Fonte: Durval Carvalhal, Preconceito Musical do Brasileiro. Disponível em: <http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3580873> Acesso em: 30 de novembro de 2014.

A) Todas pessoas, quando dizem que não gostam de um estilo de música, se baseiam em justificativas plausíveis como"O heavy metal, para mim, é muito barulhento".
B) Waldick Soriano é considerado "cafona" pelos seus ouvintes, o que justifica a sua péssima avaliação por críticos.C) O gosto é indiscutível portanto não caracteriza o preconceito. As diferentes opiniões a respeito de um grupo social resultam em uma diversidade positiva.D) O gosto musical pode ser discutido, entretanto, apenas quando se julga pura e simplesmente a musica e não o grupo social representado por ela.E) O individuo não foi vítima de preconceito musical já que o comportamento das moças foi indiferente.


Tá pra nascer homem que vai mandar em mim
Tá pra nascer alguém que vai me esculachar
Tá pra nascer, e eu já falei pra tu
Se ficar me enchendo o saco, mando tomar
Vergonha na cara é coisa rara de se ver
Mal sabe meu nome e já tá querendo me ter
Nunca dependi de homem pra coisa nenhuma
Se tuas negas são tudo assim, desacostuma!
Vou te provar que eu não sou do tipo de mulher
Que você paga uma bebida, e eu dou o que tu quer
Enfia teu malote no saco e lambe o cheque
Tenho nojo de moleque
Pode ser pagodeiro, empresário ou cantor
Pode ser funkeiro, milionário ou jogador
O que faz da sua vida não interessa
Vou mandar tu se f**er porque sou dessas!


Deixando a responsa com o Feliciano
Humanos direito vai ter o direito
De ter um monstro nos direitos humanos”
Me incomodo menos com a doença
Do que com a demora do hospital
Brasileiro achando legal ser tratado como animal
Mas como é que vamos reclamar
Se nas decisões agimos como tal
Violência policial
(é melhor nem tocar nesse assunto
Porque daqui a pouco vão excluir esse vídeo
Se eu falar muito vão me excluir junto)
Que é a origem do nosso país
O dinheiro está mandando em tudo
E deixando mudo quem quer ser feliz”


Texto 1:


“Depois vem muita gente ingênua dizendo que "funk" é cidadania. Não dá para acreditar nisso, de jeito nenhum. "Funk" é tudo igual, seja proibidão, pornô ou panfletário. Tudo com "p" de PORCARIA.”- Blog Kylocyclo, trecho da matéria “"FUNK" É CIDADANIA MESMO? FALA SÉRIO!!”


Fonte: Alexfig, “FUNK É CIDADANIA MESMO? FALA SÉRIO!! Disponível em: <http://okylocyclo.blogspot.com.br/2009/09/funk-e-cidadania-mesmo-fala-serio.html> Acesso em: 30 de novembro de 2014.

Texto 2:


Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, este direito implica a liberdade de manter as suas próprias opiniões sem interferência e de procurar, receber e difundir informações e ideias por qualquer meio de expressão independentemente das fronteiras.- 19° artigo da Declaração dos Direitos Humanos.


Disponível em <http://www.humanrights.com/pt/what-are-human-rights/universal-declaration-of-human-rights/articles-11-20.htmlAcesso em 30 de novembro de 2014.

Texto 3:


“A creche que não construiu
O buraco na rua que ainda não sumiu
Criminalidade não diminui
E os 'royalties' no que refletiu? (hein?)”


Trecho da música “O gigante acordou”, de Mc Garden.

HABILIDADE DO ENEM: 

H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.

QUESTÃO 4. Leia os textos abaixo e marque a alternativa correta:

Texto I:

Tá Pra Nascer Homem Que Vai Mandar em Mim (Valesca Popozuda)

Fonte: Valesca Popozuda, Tá Pra Nascer Homem que vai Mandar em Mim. Disponível em http://www.vagalume.com.br/valesca-popozuda/ta-pra-nascer-homem-que-vai-mandar-em-mim.html> Acesso em 30 de Novembro de 2014.


Texto II:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Fonte: BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

A) A música deveria ser proibida, já que estimula um comportamento inadequado para as mulheres;
B) A música pode ser entendida como um protesto contra o feminismo, já que valoriza a mulher.
C) O uso de palavras de cunho sexual configura a música como pornografia explícita, portanto não se pode permitir que ela seja tocada em lugares públicos.
D) A música condiz com os princípios do feminismo, já que mostra que a mulher tem soberania sobre seu corpo e sobre suas ações e, devido a isso, é livre de qualquer submissão ao homem.
E) A liberdade de expressão não é sinônimo de poder escrever uma música com palavras de cunho sexual, portanto, ela está fora dos padrões estabelecidos pela Constituição Federal.

HABILIDADES DO ENEM:

H12 - Analisar o papel da justiça como instituição na organização das sociedades.

H23 - Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades.
QUESTÃO 5. Observe os seguintes trechos da musica “Isso é o Brasil”, Do MC Garden:

Como é que cês quer ser feliz esse ano
“Sistema de saúde precário, só de lembrar até passo mal
“Tão querendo acabar com os índios

Fonte: MC Garden, Isso é Brasil. Disponível em <http://www.vagalume.com.br/mc-garden/isso-e-brasil.html> Acesso em 30 de Novembro de 2014.

Após análise crítica, responda a afirmativa correta:

A) Os temas abordados são de grande importância, pois mostram diferentes realidades de vida, mas  música apresenta um caráter passivo, uma vez que a exposição dos fatos ocorre de forma a não buscar melhorias sociais.
B) O compositor da música utilizou argumentos diversos para transmitir a sua crítica à sociedade. Entre eles estão o capitalismo, a não representação das minorias pelo governo e a falta de adequação do sistema de saúde e de segurança.
C) O autor se pronuncia a favor da atual condição do modo de vida que é citado, uma vez que a justiça e o governo estão garantindo os direitos básicos dos cidadãos, como saúde, de forma a assegurar uma melhor qualidade de vida.
D) O funk apresenta um forte caráter crítico, uma vez que incita, através de ironias e gírias, o descaso e a péssima condição social de um determinado grupo. Além disso, referir-positivamente ao Feliciano é uma forma de elogiar o seu desempenho com as minorias.
E) Apesar do caráter critico da música, a mensagem é comprometida em todos os momentos, pois a linguagem utilizada, extremamente informal, faz com que o ouvinte tenha dificuldade de entender o que é dito. 

HABILIDADES DO ENEM:

H21 - Identificar o papel dos meios de comunicação na construção da vida social.

H24 - Relacionar cidadania e democracia na organização das sociedades.

Leia os textos abaixo:

O gigante que acordou dormiu
Chamado Brasil quer viver em paz
Deu dois passos pra frente
E logo na sequencia dez passos pra trás

E tem mais, esse rapaz
Voltou a abraçar a imagem da tela
Não é possível que o "1 milhão" da avenida
É o mesmo "1 milhão" que assiste a novela

Nós fomos pra rua
Em plena luz d'alua
Unidos porque chega
De cada um na sua

Estávamos com a mão no troféu
E deixamos escapar o primeiro lugar
E agora "moiou" porque nesse intervalo
Quem tinha parado voltou a roubar

Será que temos que ir pra rua
Só quando acontece a corrupção
Quando falta médico no hospital
Só quando eles lotam os nossos "buzão"?

Ah... então tu tá perdendo tempo
Aí no seu sofá esperando a melhora
Pois tudo isso ainda está acontecendo
E o momento da gente ir pra rua é agora!

Eu sei que é difícil encarar

Eu também que é mais fácil falar

O dia a dia puxado de trampo
O dever te chamando pra manifestar

Vocês também estão cientes
Que a gente pode resolver a parada
E fazer valer cada noite perdida
Bandeira estendida e cada 'borrachada'!

Mas eu sei que o povo brasileiro
É sempre guerreiro e já vai levantar
Porque nós temos sede de vingança
E isso sua bomba não vai dispersar

Falta ética, na política
No país do carnaval

Aproveita e já joga a granada
Pra ver se o efeito é mesmo de moral

O gigante acordou
Mas acho que ele tirou uma soneca

O dinheiro do povo é o povo que usa
Ou será que já voltou pra cueca?

Eu te garanto não estão mais tranquilo
E tão vendo a nação como uma ameaça
Só que apenas com um telefonema
Eles vão abrir temporada de caça!


Da rua nós vamos pra urna
Depois nós iremos pra rua de novo
Que é pra cobrar de quem ganhou na urna
O que foi proposto para o nosso povo

A creche que não construiu
O buraco na rua que ainda não sumiu
Criminalidade não diminui
E os 'royalties' no que refletiu? (hein?)

Mas vamos parar pra pensar um segundo
Em tudo aquilo que já foi citado

Promessa atrás de promessa
O povo tem pressa de ser amparado
Explorado, enganado
Disso estamos saturados!

Gente da gente sofrendo
O povo gemendo e sendo exterminado!

E a ida pra rua foi bem eficaz
Mas não pode deixar ser só momentânea
Parece que o brasil é um jovem rapaz
Que tá precisando ter aula com a ucrânia

E vamos lá avante, gigante
A luta é constante
Não pare nesse instante

Só siga adiante!
Fonte: MC GARDEN, O GIGANTE ACORDOU. Disponível em <http://www.vagalume.com.br/mc-garden/cade-o-gigante.html> Acesso em 30 de Novembro de 2014.

A partir de uma análise crítica dos textos a seguir, assinale a alternativa correta:

A) O Funk carioca é uma forma de expressar cidadania e questionar a democracia. A exposição dos diversos problemas sociais atuais são formas de manifestar e clamar por mudanças. Além disso, opiniões como a difundida no blog Kylocyclo são preconceituosas, pois vão contra o direito de liberdade de opinião e expressão, protegidas na  Declaração dos Direitos Humanos (DDH).
B) O Funk não é uma forma de manifestação válida, pois é um gênero musical cujas letras são degradantes e não condizentes com a realidade. Porém, opiniões como as ditas no blog Kylocyclo são inaceitáveis, pois abusam da liberdade de expressão, disseminando preconceito e intolerância.
C) Apesar de o Funk Carioca ser legalmente aceito, ou seja, a sua disseminação e consumo ser legal, a sua mensagem deve ser revista, já que o estilo tem como característica geral a coisificação da mulher e a “ostentação”. 
Dessa forma, o que foi dito no blog Kylocyclo é correto, pois é uma crítica respeitosa e coerente.
D) A forma com que o Funk Carioca retrata a realidade de um grupo caracteriza-o como uma possibilidade de manifestação social. Opiniões críticas, respeitosas e bem estruturadas, como a do blog Kylocyclo ajudam o gênero musical em questão a crescer e se tornar popular entre os brasileiros.
E) O Funk Carioca não condiz com o conceito de cidadania, já que a moral por trás de suas músicas é questionável. A opinião do blog Kylocyclo, porém, denuncia uma péssima condição social, já que o funk de Mc Garden é desrespeitoso e não consegue evidenciar as realidades sócias de um grupo.

GABARITO

1- B
2- C
3- D
4- D
5- B
6- A

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

QUESTÕES DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA NO ENEM 2014

QUESTÕES DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA NO ENEM 2014

A cada ano o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) vem se aprimorando, no que diz respeito às disciplinas de Filosofia e Sociologia já somam um terço (1/3) da prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias, assim "dominar os conteúdos de sócio filosóficos hoje é - sem sombra de dúvida - o diferencial na nota dos candidatos", explica o professor Leonardo Oliveira de Vasconcelos (professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum Agostiniano, Unidade Cidade Nova, de Belo Horizonte, Minas Gerais) em entrevista ao site UOL Educação (http://vestibular.uol.com.br/noticias/redacao/2013/08/20/guia-de-estudos-confira-10-temas-essenciais-de-filosofia-e-sociologia.htm), lembrando que a prova de Ciências Humanas sempre acontece sempre no primeiro dia do exame. O Colégio Bernoulli de Belo Horizonte, MG divulgou o gabarito comentado das questões do Exame, contudo selecionamos as questões que envolvem direta e indiretamente conteúdos de Filosofia e Sociologia. Abaixo as questões de Filosofia e Sociologia da Prova de Ciências Humanas do ENEM 2014, a numeração é a da prova de cor amarela. Vejamos:
















terça-feira, 30 de setembro de 2014

Cientista da NASA visita o Colégio Magnum Agostiniano - Cidade Nova

Cientista da NASA Nagin Cox visitou e apresentou o Projeto Mars Curiosity Rover  no Colégio Magnum Agostiniano - Cidade Nova

Nesta segunda-feira (29/09) a cientista da NASA Nagin Cox visitou o Colégio Magnum - Unidade Cidade Nova - Belo Horizonte, Minas Gerais, escola referência da UNESCO para falar das novidades no campo da Engenharia Aeroespacial e das novidades da NASA, atualmente ela trabalha no Mars Science Laboratory (MSL), no projeto responsável pelo desenvolvimento do veículo exploratório Mars Curiosity Rover, que aterrissou em Marte em 2012. 






Palestrante muito requisitada, Nagin Cox vem realizando apresentações sobre seu trabalho e das equipes que coordena na NASA, para plateias nos EUA, Europa, Oriente Médio e Ásia do Sul. Em seu tempo livre, pratica canoagem, triatlos de alta performance, participa de um coral, atua num programa de defesa pessoal para mulheres e é membro do Comitê de Direitos da Mulher do Human Rights Watch. 




Nagin é graduada pela Universidade de Cornell com um Mestrado em Investigação Operacional e Engenharia Industrial e bacharel em Psicologia. Foi contratada como uma oficial da Força Aérea dos EUA. Como tenente, ela estava alocada na Base Aérea de Wright-Patterson, em Ohio, e trabalhou como engenheira de sistemas no treinamento das tripulações F-16. Mais tarde, ela participou do Air Force Institute of Technology, onde recebeu um mestrado em Engenharia de Sistemas de Operações Espaciais. Como capitã, atuou como Analista Orbital em NORAD / Space Command em Cheyenne Mountain, Colorado Springs.



Fontes:
http://www.ucsal.br/articles/0000/1622/nagin_cox-biodata__Portuguese_.pdf
http://www.nasa.gov/mission_pages/msl/#.VCtZUvldVh4

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho