sábado, 26 de janeiro de 2008

MEU PAI, MEU HERÓI

Quem não tem um herói? Alguns aparecem e somem das nossas vidas, outros podem ser perigosos, uma vez que corremos o risco de morrermos esmagados pela sua imagem (eidola do grego de onde vem a palavra idolatria, ou seja, atidude de entregar-se à imagem, adorar um deus esculpido, uma imagem, oferecer tributos e sacrifícios, daí a idéia judaíca de quem idolatra imagens está adorando um falso deus, e o único Deus é JAVÉ).

Alguns pensadores tem a opinião de que os ídolos são seres metafísicos, no caso Deus mesmo, outros que são criações da mente - seres imaginários, que contém as qualidades que elegemos serem superiores e configuramos em uma pessoa ou um deus, por exemplo, o personagem Aquiles da Ilíada, obra de Homero, e finalmente aqueles que já não acreditam em nada disso - porém para mim herói é aquele que é uma referência para nossa vida, para nossos pensamentos e para formação do nosso caráter.

Nesta curta estrada que até agora percorri, muito aprendi. Embora muito, mas muito pouco diante do que me foi ensinado pelos meus pais.

Vou falar de uma pessoa que é mais que meu herói, é mais que amigo, é meu mestre, MEU PAI: Carlos Vasconcelos.






Carlão, mesmo distante, vc está muito perto de mim. Quero dizer a você a você que tudo o que sou é devido a você e a mamãe. Sigo hoje as trilhas dos seus exemplos de vida, do seus exemplo de caráter e humanidade. Lembro-me quando era jovem, a sua paciência em me ensinar, educar e a ser perseverante nos momentos difíceis, da sua dedicação para conosco, sua família, da sua luta diária, da sua disposição em solucionar problemas de diversas naturezas.

Não gosto das músicas do Fábio Júnior, mas essa composição é quiçá a única
que eu gosto e é isso que gostaria de te falar: Valeu por tudo, te amo, cara!!!

Pai!

Pode ser que daqui a algum tempo
Haja tempo prá gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos
Pai e filho talvez...

Pai!
Pode ser que daí você sinta
Qualquer coisa entre
Esses vinte ou trinta
Longos anos em busca de paz...

Pai!
Pode crer, eu tô bem
Eu vou indo
Tô tentando, vivendo e pedindo
Com loucura prá você renascer...

Pai!
Eu não faço questão de ser tudo
Só não quero e não vou ficar mudo
Prá falar de amor
Prá você...

Pai!
Senta aqui que o jantar tá na mesa
Fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensine esse jogo da vida
Onde a vida só paga prá ver...

Pai!
Me perdoa essa insegurança
Que eu não sou mais
Aquela criança
Que um dia morrendo de medo
Nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu...

Pai!
Eu cresci e não houve outro jeito
Quero só recostar no teu peito
Prá pedir prá você ir lá em casa
E brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Ah! Ah! Ah!...

Pai!
Você foi meu herói meu bandido
Hoje é mais
Muito mais que um amigo
Nem você nem ninguém tá sozinho
Você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz
Pai! Paz!...

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Delírio da fama?

Não são recentes os escândalos de artistas na mídia. Escândalos com artistas sempre existiram na história do Olimpo da fama, desde a antigüidade até hoje. Sabemos que eles sempre demonstraram publicamente seu lado privado da vida, e publicar essas privacidades é "ganha-pão" de muitos jornalistas por aí, ainda mais hoje que a mídia é entreterimento para preencher a vida e o tempo de muitas pessoas.
Sabemos que cada artista tem suas chamadas "válvulas de escape", ou seja, cada um desagua suas energias de formas diversas - Freud já dizia - alguns entram de cabeça no mundo das drogas, sexo, consumismo sem fronteiras e chegam até o ponto máximo: suicídio. Exemplos disso são os grandes astros da História do Rock - Elvis Presley, Jimi Hendrix, Janis Joplin e até o caso do vocalista do INXS Michael Hutchence (suicídio), são milhares de casos assim. De um ponto de vista psicológico essas atitudes de celebridades são muitas vezes vistas como demonstrações de pura insanidade, descontrole emocional e um grande vazio existencial.
Ora, por outro lado, temos artitas que deliberam essas energias com ações menos agressivas, ou seja, dedicam-se às causas sociais, muitos chegam ao equilíbrio emocional através da religião, ou criam novas obras, músicas etc., exemplo disso é a família Jolie-Pitt: Brad Pitt, que adotou algumas crianças do continente africano, juntamente com a artista e atual esposa Angelina Jolie, e diversos casos de outros famosos.
Penso que a arte deve é preencher o "buraco existencial" que existe em nós e não abrí-lo mais, tornando-se um abismo.


Michael Jackson é o caso mais famoso acerca do delírio da fama. Antes Black, agora White. A causa é o vitiligo (despigmentação da pele) ou delírio psicológio?


Kurt Cobain - vocalista do Nirvana, que suicidou em 1994.
Foi por causa de seus delírios provindos da fama?

O caso da cantora e compositora norte-americana Britney Spears, que vendeu cerca de 91 milhões de albums e 60 milhões de singles, no mundo todo de acordo com a revista TIME.
Britney Spears e suas atuais atitudes polêmicas - delírio da fama ou jogada de marketing???

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho