domingo, 25 de novembro de 2012

VESTIBULAR UFMG - SEGUNDA ETAPA - APROFUNDAMENTO EM FILOSOFIA



AULAS DE FILOSOFIA - 
2ª ETAPA DO VESTIBULAR UFMG 2013 

ANÁLISE DOS TEXTOS :
Eutidemo - Platão
Do Padrão de Gosto - David Hume
Verdade e Falsidade - Bertrand Russell




APROFUNDAMENTO EM FILOSOFIA

Aulas de preparação para a 2ª etapa do vestibular da UFMG

Matrículas abertas!
Vagas limitadas!

Programação:                 
I. Análise das obras filosóficas da UFMG*.
II. Aprofundamento no Programa Temático.

Turmas com no máximo 10 alunos**;
Análise aprofundada dos textos da 2ª Etapa da UFMG (obs.: não é o resumo)
Material didático próprio***;
Aulas multimídias e interativas;
Espaço grande e arborizado;
Próximo ao Colégio Magnum;
Ônibus na porta (Linha 8103 - Azul);
Pontos de referência: próximo à Av. Cristiano Machado (Nova Floresta / Colégio Magnum) e Rua Jacuí.

Prova de Filosofia é cobrada nos seguintes cursos: 
Artes Visuais; Cinema de Animação e Artes Digitais; Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis; Comunicação Social; Ciências do Estado; Ciências Sociais; Design de Moda; Direito e Filosofia.

Professor Leonardo Oliveira de Vasconcelos
Professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum Agostiniano.
Bacharel e Licenciado em Filosofia pela UFMG.
Especialista no Ensino de Filosofia e preparação para a 2ª Etapa do Vestibular da UFMG,
95% de aprovação dos alunos na 2ª Etapa do Vestibular da UFMG.

Local: 
Espaço Villa dos Dons
(Rua Horta Barbosa, n° 887. Nova Floresta. Belo Horizonte - Minas Gerais. Ônibus: 8103 - Azul).

Contato: 
(31) 9399-4739.
(31) 2552-7391.
leo.o.ufmg@gmail.com
Segundas e Quartas, de 13:00h. às 15:30h.
ou Sábados, de 08:00h. às 12:20h.

TURMA DE SEGUNDA-FEIRA (Máximo de 10 alunos)
Início das aulas: 05 de Novembro/12.
Término: 07 de Janeiro/13.

TURMA DE SÁBADO (Máximo de 10 alunos)
Início das aulas:  01 dezembro /12.
Término: 10 de Janeiro/13.

*Obras:
1.PLATÃO. Eutidemo. Tradução de Maura Iglésias. São Paulo: Loyola, 2011.

2.HUME, David. “Do Padrão do Gosto” In: Ensaios morais, políticos e literários (Coleção Os Pensadores). Tradução de João Paulo Gomes Monteiro e Armando Mora D’Oliveira. São Paulo: Abril Cultural, 1992, p. 261-271 (diversas edições).

3.RUSSELL, Bertrand. Os Problemas da Filosofia (Capítulo 12, intitulado “Verdade e Falsidade”). Tradução de Jaimir Conte. Florianópolis, 2005.

**Valor: 
R$ 800,00 (Material incluído. Valor dividido em 3 vezes no cheque: R$ 320,00 à vista; R$ 320,00 para 26/12 e R$ 160,00 para 10/01. Valor total à vista: 5% de desconto).

***Material Didático:
Caso tenha interesse apenas no material, resumo dos três textos e comentários (em arquivo pdf): R$ 40,00.
Forma de pagamento: depósito em conta.
Faça seu pedido através do e-mail: leo.o.ufmg@gmail.com

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

QUESTÕES DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA NO ENEM 2012

As questões de Filosofia e Sociologia
foram o diferencial  na área de Ciências Humanas

A prova de ciências humanas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012, realizada este sábado, 03 de Novembro de 2012, contou com 8 questões de natureza filosófica e 6 questões de natureza sociológica, num total de 14 Questões de Filosofia e Sociologia

"É um número expressivo, uma vez que são destinadas apenas 45 questões para a prova de Ciências Humanas do Enem, essas duas áreas tiveram maior peso que a Língua Estrangeira, na área de Linguagens e Códigos", explica Leonardo Oliveira de Vasconcelos, professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum Agostiniano - Unidade Cidade Nova - e em Cursos de Aprofundamento em Filosofia.

A prova de Ciências Humanas contou com textos e enunciados longos e a habilidade de uma leitura crítica por parte dos candidatos. "A prova exigiu um aluno com boa leitura e com senso crítico" disse a professora Vera Lúcia do Curso e Colégio Objetivo

Os avaliadores variaram e trouxeram textos de filósofos como Montesquieu, DescartesPlatão, Habermas, Kant, Maquiavel, uma questão sobre o tema EstéticaAnaxímenes de Mileto e até Basílio Magno
Segundo o professor e diretor pedagógico do cursinho Oficina do EstudanteCélio Tasinafo, "Kant, Habermas, Maquiavel e Descartes são filósofos significativos e, este ano, caíram no Enem, mostrando que a filosofia está se consolidando como matéria do ensino médio".
filosofia ficou por um tempo, de certa forma, "ignorada" pelos vestibulares tradicionais, mas está cada vez mais presente nestas provas desde a sua obrigatoriedade no currículo do ensino médio brasileiro.
Agora é a vez da Filosofia e da Sociologia, que são disciplinas base para as áreas de Ciências Humanas e Suas  Tecnologias.

QUESTÕES DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA DO ENEM 2012, PROVA AMARELA, COMENTADAS PELO CURSO OBJETIVO:

Questão de natureza filosófica.

Questão de História, contudo o teor sociológico 

se encontra em segundo plano.

Questão clássica de Filosofia Moderna, 

o apelo de Kant acerca do "sapere aude"

Questão de História, mas o teor sociológico 

fica de fundo.

Questão sobre a Liberdade, Filosofia Moderna.

Questão de História que também tem como pano de fundo 

um conteúdo sociológico

Análise sociológica. Questão de Sociologia.

Os movimentos são tipicamente questões sociológicas.

Questão filosófica, análise temática: estética e existência.

Questão de Sociologia: Sociedade e Trabalho, contudo sempre 

os profissionais das disciplinas de História e Geografia vão 
defender que são de suas respectivas áreas.

Questão de Filosofia Clássica: Platão.

Questão de Filosofia, cuja a habilidade é comparar
Filosofia Antiga com Filosofia Medieval

Racionalismo x Empirismo, questão de Filosofia Moderna,
Eixo temático: Teoria do Conhecimento.

O velho e sempre novo Maquiavel, questão de Filosofia Renascentista, 

parece uma questão de História, mas a habilidade desta questão 
é puramente filosófica



VESTIBULAR UFMG 2013 É NA PRIMUM

FAÇA SUA INSCRIÇÃO ATÉ 26 DE NOVEMBRO 2012.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

DICAS PARA O ENEM - A FILOSOFIA NO ENEM

'No Enem, não basta bagagem intelectual, é preciso preparo psicológico. Mas também não é possível deixar de lado os estudos'  - Rita Magalhães Oliveira, de 17, estudante (Maria Tereza Correia/EM/D.A Press)
Aluna Rita Magalhães Oliveira, 17 anos
Especialistas dão dicas para o Enem

A um mês do exame, o Jornal Estado de Minas começa a publicar série de matérias com dicas sobre cada uma das áreas
por Junia Oliveira - Publicação: 02/10/2012 06:00


"No Enem, não basta bagagem intelectual, é preciso preparo psicológico. Mas também não é possível deixar de lado os estudos" - Rita Magalhães Oliveira, de 17, estudante

Agora falta pouco. Daqui a um mês, milhões de estudantes brasileiros estarão frente a frente com a prova que é sinônimo de passaporte para as universidades federais. Na reta final, o estresse e a ansiedade tomam conta sim, mas neste momento é fundamental focar no elemento-chave do sucesso no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): a preparação. O Estado de Minas começa hoje uma série especial de reportagens para ajudar os candidatos a fazer bonito. Nas próximas terças-feiras e ao longo da semana que antecede os testes, professores dos colégios de Belo Horizonte mais bem classificados no Enem darão dicas preciosas sobre cada uma das áreas cobradas na avaliação e de como fazer bonito no dia. A primeira matéria mostra que, em ciências humanas e suas tecnologias, superar a visão compartimentada do conhecimento e buscar um diálogo interdisciplinar entre a história, a geografia e a filosofia é fundamental.

Nessa área, o raciocínio implica relacionar diversas disciplinas. “Assim, história se torna o melhor suporte para filosofia, que por sua vez ajuda a entender a cultura dentro de um espaço, que é a própria geografia”, afirma o professor de história do 3º ano do Colégio Magnum Cidade Nova Herberton Sabino, o “Pinta”. Ele acrescenta que o Enem supera a “decoreba” e exige uma formação mais analítica, senso crítico e cultura geral. “O aluno que estuda para ter o máximo possível de informações, não as transformando em conhecimento aplicado, acaba não tendo êxito. A ênfase são as competências e as habilidades em ciências humanas, é a capacidade de ler o mundo”, ressalta.

O Ministério da Educação (MEC) quer testar, dentro da matriz de referência do Enem, seis competências. As primeiras incluem a capacidade dos candidatos de compreender os elementos culturais que constituem as identidades; as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder; e a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas. É importante também entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social; usar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia; além de analisar a sociedade e a natureza em diferentes contextos históricos e geográficos.

Compreensão São essas relações que encantam o aluno Fernando Borges de Sousa Lopes, de 18 anos, candidato a uma vaga em economia. Ele diz que a possibilidade de olhar o passado para compreender a atualidade e de estudar pensadores cujas teorias ainda regem o mundo atual o fizeram ter a certeza da preferência por ciências humanas. “Essa área me dá prazer em estudar, pois as matérias são perfeitamente encaixadas no cotidiano”, afirma.


"A proposta do Enem é interessante não só por tocar nas questões didáticas, mas por colocar em prática o que pode ser abordado hoje. Quando ligo a televisão ou leio os jornais, posso usar isso para ver algo que estou aprendendo" - Fernando Borges de Sousa Lopes, de 18, estudante
'A proposta do Enem é interessante não só por tocar nas questões didáticas, mas por colocar em prática o que pode ser abordado hoje. Quando ligo a televisão ou leio os jornais, posso usar isso para ver algo que estou aprendendo' - Fernando Borges de Sousa Lopes, de 18, estudante (Maria Tereza Correia/EM/D.A Press)
Aluno Fernando Borges de Souza Lopes, 18 anos,
candidato ao curso de Economia
“A proposta do Enem é interessante não só por tocar nas questões didáticas, mas por colocar em prática o que pode ser abordado hoje. Quando ligo a televisão ou leio os jornais, posso usar isso para ver algo que estou aprendendo. Aproveito esse sistema global para desenvolver minhas habilidades. O livro é importante para formar e ter conhecimento do assunto, mas ter o auxílio da internet, de vídeos, enfim, aplicar no cotidiano as matérias que aprendemos é legal”, observa Fernando. Para o adolescente, o principal desafio são os textos e saber interpretar a data a que se referem. “A linguagem de certos textos de época é arcaica. É preciso muita paciência para essa análise e, ao mesmo tempo, ler e o mais rápido possível o que está sendo dito. Isso é o que pode tomar tempo e nos fazer perder muitas questões. Tenho trabalhado muito isso.”


É preciso saber ‘ler’ o mundo

Charges, gráficos, mapas, documentos de época e até pinturas, apresentados com variações de textos, podem ser elementos para contextualizar acontecimentos históricos. Por isso, desenvolver a capacidade de ter vários olhares faz toda a diferença. Outro aspecto importante, segundo o professor Herberton Sabino, é estar atento à elaboração e formação de conceitos, principalmente no que se refere à cultura, à memória, a identidades (pessoal, local e nacional) e ao patrimônio histórico e cultural.

“Para ter esse discernimento, o aluno precisa desenvolver leitura, principalmente de mundo. Não dá para ser preso e alienado. O mercado editorial é muito grande e tem revistas na área de história, biologia, filosofia que não são científicas no sentido da rigidez, mas têm um texto mais elaborado e aprofundado”, relata. “Ao fazer essa leitura, é preciso ter olhar crítico e analítico. À medida que leio um jornal ou revista, estou exercitando o que vou fazer na prova, que é a habilidade, compreender uma notícia e ter uma opinião, inclusive como cidadão”, afirma.

Mas o professor destaca que não basta ter postura analítica, é preciso uma formação multifacetada, seja no aspecto da cultura, da diversidade geográfica ou do pensamento. “Quem tem visão unilateral está prejudicado e mais suscetível a visões preconceituosas, o que é penalizado no processo de avaliação do Enem”, diz. Professor de geografia do colégio, Silvânio Fortini chama a atenção para os temas relacionados ao meio ambiente, que, segundo ele, nas últimas edições do Enem responderam por cerca de 50% da prova de ciências humanas. A situação da água, questões urbanas e sanitárias são os três principais focos. Ele ressalta que a capacidade de o aluno fazer análises, correlações, ligar assuntos e sintetizar o que está sendo observado são habilidades imprescindíveis na prova. “O que manda agora é o conhecimento difuso”, relata.

Essas possibilidades fazem brilhar os olhos da aluna Rita Magalhães Oliveira, de 17 anos, candidata a uma vaga no curso de direito. Ela conta que em casa seleciona matérias e busca extrapolar o conteúdo do colégio. Para Rita, se manter conectada ao que ocorre é fundamental. “No Enem, não basta bagagem intelectual, é preciso preparo psicológico. Mas também não é possível deixar de lado os estudos.”

______________________________

Como se preparar

Saiba o que o professor Herberton Sabino, do Colégio Magnum, indica para os estudos que antecedem a prova e durante a avaliação

Antes:

1) Lembrar que o estudo prioriza as competências e habilidades, portanto, um conhecimento essencialmente atual e aplicado
2) Ler revistas semanais, jornais e publicações especializadas
3) Abordar o conteúdo sempre por um viés interdisciplinar, não estudar a história sem dialogar com a geografia, filosofia e com as disciplinas de outras áreas, como a literatura e biologia
4) Desenvolver e adotar uma postura analítica e crítica frente ao conhecimento
5) Treinar a leitura de textos diversos: pintura, charges, mapas, gráficos, documentos de época

Na hora:

1) Manter o equilíbrio emocional e a autoconfiança
2) Ler as instruções e conferir os cadernos e gabaritos para prevenir problemas
3) Identificar no item a situação problema a ser analisada
4) Ler com atenção buscando apreender no texto introdutório o quando (contexto), onde (espaço), quem (agente), o que (acontecimento/processo)
5) Preencher o gabarito com atenção

__________________________

Diário de classe

Leonardo Oliveira de Vasconcelos, Professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum
O professor escreve no Blog Pensar: http:// blogpensar.blogspot.com

A filosofia no vestibular

“Em sala de aula, trabalho com os alunos temas que aparecem constantemente no Enem e nos vestibulares no campo da filosofia, como a diferenciação da ética e da moral, uma vez que a moral são os costumes de um povo. Já a ética é mais abrangente, inclui a análise desses costumes e análise moral. As concepções políticas também são muito importantes, pois as habilidades do Enem exigem que o aluno saiba comparar, interpretar, diferenciar e relacionar períodos históricos, por exemplo, a diferença entre a concepção política de Aristóteles (filósofo grego) e Thomas Hobbes (filósofo do período moderno), o realismo político de Maquiavel, como os conceitos de virtù e fortuna, as teorias contratualistas (pensadores como Hobbes, Locke e Rousseau). É importante verificar ainda a relação entre Antiguidade e Renascença sob a perspectiva política e ética, a relação entre as teorias liberalistas do século 17, os desafios da democracia ontem e hoje, os Estados republicanos gregos, a dinâmica envolvendo as instituições, o papel dos movimentos sociais, o papel da educação e da religião, multiculturalismo, trabalho e cultura.”

FONTE: http://www.em.com.br/app/noticia/especiais/educacao/2012/10/02/internas_educacao,320780/especialistas-dao-dicas-para-o-enem.shtml

terça-feira, 12 de junho de 2012

Textos de Filosofia 2ª etapa Vestibular 2013 UFMG

Textos de Filosofia 2ª etapa Vestibular 2013 UFMG

A UFMG divulgou nesta segunda-feira (véspera do dia 12 de Junho de 2012 Dia dos Namorados) os textos de Filosofia para o Vestibular 2013. São eles:

PLATÃO.  Eutidemo. Tradução de Maura Iglésias.  São Paulo: Loyola, 2011. Download em pdf

HUME, David. “Do Padrão do Gosto” In: Ensaios morais, políticos e
literários
(Coleção  Os Pensadores ). Tradução de João Paulo Gomes Monteiro e
Armando Mora D’Oliveira. São Paulo: Abril Cultural, 1992, p. 261- 271 (diversas
edições). Download em pdf.

RUSSELL, Bertrand.   Os Problemas da Filosofia  (Capítulo 12, intitulado
“Verdade e Falsidade”). Tradução de Jaimir Conte. Florianópolis, 2005.
Disponível online no endereço:   http://www.cfh.ufsc.br/~conte/russell.html Download em pdf.


Agora é ler e se preparar...


AULAS DE FILOSOFIA - 
Universidade Federal de Minas Gerais
2ª ETAPA DO VESTIBULAR UFMG 2013


ANÁLISE DOS TEXTOS :
Eutidemo - Platão
Do Padrão de Gosto - David Hume
Verdade e Falsidade - Bertrand Russell


APROFUNDAMENTO EM FILOSOFIA

Aulas de preparação para a 2ª etapa do vestibular da UFMG

Matrículas abertas!
Vagas limitadas!

Programação:                 
I. Análise das obras filosóficas da UFMG*.
II. Aprofundamento no Programa Temático.

Turmas com no máximo 10 alunos**;
Análise aprofundada dos textos da 2ª Etapa da UFMG (obs.: não é o resumo)
Material didático próprio;
Aulas multimídias e interativas;
Espaço grande e arborizado;
Próximo ao Colégio Magnum;
Ônibus na porta (Linha 8103 - Azul);
Pontos de referência: próximo à Av. Cristiano Machado (Colégio Magnum) e Rua Jacuí.

Prova de Filosofia é cobrada nos seguintes cursos: 
Artes Visuais; Cinema de Animação e Artes Digitais; Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis; Comunicação Social; Ciências do Estado; Ciências Sociais; Design de Moda; Direito e Filosofia.

Professor Leonardo Oliveira de Vasconcelos
Professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum Agostiniano.
Bacharel e Licenciado em Filosofia pela UFMG.
Especialista no Ensino de Filosofia e preparação para a 2ª Etapa do Vestibular da UFMG,
95% de aprovação dos alunos na 2ª Etapa do Vestibular da UFMG.

Local: 
Curso Primum / Espaço Villa dos Dons
(Rua Horta Barbosa, n° 887. Nova Floresta. Belo Horizonte - Minas Gerais. Ônibus: 8103 - Azul).

Contato: 
(31) 9399-4739.
(31) 2552-7391.
leo.o.ufmg@gmail.com
Segundas e Quartas, de 13:00h. às 15:30h.
ou Sábados, de 13:00h. às 17:40h.

TURMA DE SEGUNDA-FEIRA (Máximo 12 alunos)
Início das aulas: 05 de Novembro/12.
Término: 07 de Janeiro/13.

TURMA DE SÁBADO (Máximo 12 alunos)
Início das aulas:  01 dezembro /12.
Término: 10 de Janeiro/13.

*Obras:
1.PLATÃO. Eutidemo. Tradução de Maura Iglésias. São Paulo: Loyola, 2011.

2.HUME, David. “Do Padrão do Gosto” In: Ensaios morais, políticos e literários (Coleção Os Pensadores). Tradução de João Paulo Gomes Monteiro e Armando Mora D’Oliveira. São Paulo: Abril Cultural, 1992, p. 261-271 (diversas edições).

3.RUSSELL, Bertrand. Os Problemas da Filosofia (Capítulo 12, intitulado “Verdade e Falsidade”). Tradução de Jaimir Conte. Florianópolis, 2005.

**Valor: 
R$ 800,00 (Material incluído. Valor dividido em 3 vezes no cheque: R$ 320,00 à vista; R$ 320,00 para 26/12 e R$ 160,00 para 10/01. Valor total à vista: 5% de desconto).


http://blogpensar.blogspot.com.br/2012/11/vestibular-ufmg-segunda-etapa.html

domingo, 3 de junho de 2012

VISTO EUA - 6 PASSOS PARA O VISTO AMERICANO

OS SEIS PASSOS PARA O VISTO AMERICANO

Tirar o visto EUA ficou mais fácil!

Verifique abaixo as novas mudanças da Embaixada Americana no Brasil.

Começou a funcionar os novos Centros de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV) para os Estados Unidos no Rio, que fica na Rua Humaitá 275, no bairro do mesmo nome, na Zona Sul.O posto vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e aos domingos, das 13h às 18h.

No fim de abril 2012, a missão diplomática dos Estados Unidos mudou o processo de pedidos de visto no Brasil, que passaram a ser feitos em duas etapas. O interessado deve primeiro agendar o pedido de visto pela internet, no site http://brazil.usvisa-info.com , e recebe um número para monitorá-lo.

Clique no vídeo para ver passo a passo como tirar o visto americano:


Na data agendada, antes de ir ao consulado, o interessado vai a um Casv para entregar documentos, fotografia e tirar as digitais. A criação dos postos de pedido de visto faz parte de um plano maior, para reduzir as filas e a espera para retirar o documento. Também foram inaugurados outros centros em São Paulo, Belo Horizonte (MG), Recife (PE) e Distrito Federal. 

O solicitante passará a pagar uma taxa única pelo visto, por volta de R$ 307,70 (US$ 160) dependendo da cotação do dólar do dia. O pagamento poderá ser feito por boleto gerado no site ou telefone, diferentemente do que ocorre hoje, em que é obrigatório pagar no Citibank com o passaporte. Quem for pedir visto também não precisa mais se preocupar em levar foto 5x7, que vai passar a ser tiradas no centro 
de atendimento, de graça.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

3ª Série do E.M. - "Aulão" de Filosofia/Sociologia

Aulão temático de Filosofia e Sociologia
para os alunos da 3ª Série EM do Colégio Magnum
Através das discussões dos filósofos e sociólogos contemporâneos, como Bertrand Russell, Max Weber e Norberto Bobbio, é que os alunos da 3ª Série E.M. do Colégio Magnum Agostiniano - Unidade Cidade Nova - em Belo Horizonte, Minas Gerais, puderam aprofundar, no AULÃO, as relações de poder vividas na sociedade, tema muito discutido nas provas do ENEM. A área de Ciências Humanas e suas Tecnologias conta com duas importantíssimas ciências: Filosofia e Sociologia.


Os alunos tiveram um aulão de 4 horas aula
Política  Dos Gregos à Contemporaneidade
 O professor Leonardo Oliveira de Vasconcelos alerta sobre a importância da análise filosófica e sociológica para uma maior compreensão de fatos históricos e análises geopolíticas, no espaço e no tempo, uma vez que é próprio da abordagem filosófica e sociológica fazer a ligação entre as diversas áreas do conhecimento em Ciências Humanas.

Esforço físico e mental, para compreender as abordagens filosóficas
Abordagem temática da Filosofia de acordo com o Programa de Filosofia da UFMG

O segredo para um bom resultado é esse
Fonte: http://www.magnum.com.br/cidade_nova/noticias/3a-serie-do-e-dot-m-aulao-filosofia-slash-sociologia

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Economia Filosófica - Uma visão artística e um tanto ousada de quem está começando


Economia Filosófica - Uma visão artística e um tanto ousada de quem está começando

Luís Felipe Finelli Zólio
Aluno do 2° Período do Curso de Ciências Econômicas da PUC Minas 

   O estudo da filosofia é fundamental na formação pessoal do indivíduo, já que reflexões filosóficas comprovadamente nos elevam para um nível de percepção sobre o mundo e as coisas muito mais claro e consistente. Mas afinal, a filosofia tem aplicação prática e profissional? Como a filosofia dos antigos gregos ou a moderna racionalidade dos iluministas europeus ajudariam um profissional da área de economia a ser melhor?
  A resposta é ao mesmo tempo fácil e complexa de se responder. Diretamente não tem função, já que ler o mito da caverna não ajuda ninguém a derivar a curva IS-LM de Keynes, e nem o ‘’Édipo’’ de Sófocles ajuda algum economista a deslocar taxa de inflação pra baixo tentando não aumentar o desemprego.
  Porém indiretamente a filosofia está em todas as coisas, afinal, uma ciência que nos ensina a pensar, não deve ser totalmente descartável, ou você nunca usou o empirismo de Bacon para se queimar no fogo pela primeira vez, para descobrir que machuca?
  Pode parecer que não, mas sem a lógica socrática, os problemas matemáticos realmente seriam grandes problemas, e o que seriam das formulas macro e micro econômicas, se suas raízes não estivem bem na escola de Aristóteles? E o que dizer então sobre o metódico Descartes. ‘’O discurso do método’’ inspira ate mesmo o mais desinteressados do mundo acadêmico a vasculharem alguns livros.
  Talvez muitos não tenham lido as obras de Kant, mas provavelmente todas as pessoas já fizeram questionamentos sobre moral: moral nos negócios, moral na gerência, moral entre pessoas e outras mais. Será que se nossos governantes, diga-se de passagem, muitos são economistas, teriam chegado aonde chegaram, sem o ‘’Príncipe de Maquiavel’’? Será que teríamos tantos problemas com a ética dos políticos, se esses mesmos tivessem lido ‘’Ética’’ de Espinosa?
  E o que podemos dizer da religião? Do discurso de fé x razão? Dos argumentos cristãos de Agostinho, e dos argumentos nada cristãos de Nietzsche. Se você já se questionou sobre a existência de Deus ou de milagres, ou da criação e evolução, você já filosofou a respeito desse assunto.
  Pode parecer irrelevante a percepção dos sentidos, a função da filosofia, mas ela está ‘’entranhada’’ nas entranhas de todas as coisas, as bases do pensamento, a fundamentação de todos os conhecimentos, tudo é baseado nessa ciência. Talvez muitos economistas não entendam a real importância dessa matéria, matéria da qual o grande Karl Marx era formado, isso mesmo, economista e filósofo, tudo ao mesmo tempo, tudo na mesma pessoa.
  Talvez muitos economistas não saibam, que as suas decisões mais moderadas, se referem a Apolo, e as mais ousadas a Dionísio, talvez não saibam, que as decisões mais racionais, se referem a Parmênides e que as mais sensitivas se referem a Heráclito. Talvez por falta de interesse, ou por falta de percepção, percepção da qual William Blake dizia ser o caminho para o infinito de conhecimento. Mas quem sabe as pessoas só estejam precisando de uma auto avaliação? Ou quem sabe da ‘’Metamorfose’’ de Kafka? Para que assim possam enxergar o mundo de outro ângulo, para quem sabe se libertarem dessas ‘’correntes de Prometeu’’, ou desse “Inferno de Dante’’ que as impede de enxergar um céu chamado Filosofia.

Luís Felipe Finelli Zólio
Aluno do 2° Período do Curso de Ciências Econômicas da PUC Minas 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Obras literárias indicadas para vestibular 2013


Saiu hoje a lista das obras literárias indicadas para o Vestibular 2013, confira:


VESTIBULAR 2013 - UFMG

Obras literárias indicadas para leitura PRÉVIA:

1. Recordações do Escrivão Isaías Caminha, de Lima Barreto
2. Eu, de Augusto dos Anjos
3. Formas do Nada, de Paulo Henrique Britto
4. Vermelho amargo, de Bartolomeu Campos de Queirós.

*****************************************************************************


FONTE: http://web.cpv.ufmg.br/Arquivos/2012/Livros_Vest_2013.pdf

Dia Mundial da Boa Ação

Hoje celebra-se o Dia mundial da boa ação.
Postei a seguir um vídeo que recebi, super interessante, mostra rapidamente o "efeito boomerang"


domingo, 22 de abril de 2012

Aprender Ensinando

                                          As alunas Sarah Leão e Isabella Amaral, do 9° Ano C - monitoria de Filosofia


Educação é uma prática social. Parafraseando Paulo Freire, ninguém educa ninguém e ninguém se educa sozinho, as pessoas se educam em comunhão. Foi pensando nisso, que as alunas Sarah Leão e Isabella Amaral, do 9° Ano C deram monitoria de Filosofia aos colegas da sua sala, para tirar as dúvidas, explicar os assuntos de Filosofia, com uma linguagem mais próxima da do colega. Além disso, os monitores coletaram informações sobre as dificuldades de alguns colegas, auxiliando o professor na ação com esses alunos.
Essa experiência com a monitoria tem demonstrado que o monitor pode se constituir em um excelente canal de comunicação entre o professor e a sua turma. 


http://www.magnum.com.br/cidade_nova/noticias/9o-ano-aprender-ensinando

domingo, 11 de março de 2012

DEVER DE CASA - 9° ANO EF


DEVER DE CASA N° 2 - 9° ANO EF

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MG
9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA N°2 - MARÇO - ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA.

COM BASE NO BLOCO DE ATIVIDADES E NO CONTEÚDO EXPOSTO EM SALA DE AULA, RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO:

QUESTÃO 01. DIFERENCIE Determinismo de Livre-arbítrio.
QUESTÃO 02. EXPLIQUE em que consiste o Determinismo Científico.
QUESTÃO 03. DIFERENCIE Determinismo Absoluto de Fatalismo.
QUESTÃO 04. Leia atentamente a história abaixo e responda ao que se pede:

Neymar Jr. 

Filho de Neymar da Silva Santos (de quem herdou o nome) e Nadine Santos, Neymar nasceu na cidade de Mogi das Cruzes, interior doestado de São Paulo, no ano de 1992, mas ainda muito jovem mudou-se para São Vicente e em seguida para Santos. Em 2003, aos 11 anos de idade, chegou às categorias de base do Santos, de onde não saiu mais até tornar-se profissional.
Quando Neymar ainda não ganhava o suficiente para sustentar a família, ele, o pai, a mãe e a irmã moravam em um cômodo na casa da avó, na periferia de São Vicente. Com a ajuda de Deus veio o dinheiro e já prevendo o sucesso do filho, a família comprou seu primeiro imóvel, um apartamento ao lado da Vila Belmiro. À medida que o adolescente crescia e com a ajuda do Senhor, o nível de vida da família melhorava. Aos 15 anos, Neymar ganhava 10 mil reais por mês. Aos 16, 25 mil. Aos 17, quando virou titular no time principal do Santos, vieram os primeiros patrocínios. 
 Fonte: wikipédia
 APONTE e EXPLIQUE o tipo de Determinismo que corresponde ao texto.

sexta-feira, 2 de março de 2012

DEVER DE CASA - 9° ANO EF

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO

UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MG
9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA - ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA.

COM BASE NO BLOCO DE ATIVIDADES E NO CONTEÚDO EXPOSTO EM SALA DE AULA, RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO:

QUESTÃO 01. DIFERENCIE Heteronomia de Autonomia.
QUESTÃO 02. Dê um exemplo que heteronomia.
QUESTÃO 03. EXPLIQUE o por quê que a criança não é propriamente um ser autônomo.
QUESTÃO 04. DIFERENCIE Socionomia de Autonomia.
QUESTÃO 05. Leia o bloco de atividades de Filosofia e CONCEITUE livre-arbítrio.
QUESTÃO 06. Leia o bloco de atividades de Filosofia e CONCEITUE determinismo.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

DEVER DE CASA: 9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL


COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO

UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
SÉRIE: 9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA (ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA)

QUESTÃO 01. EXPLIQUE A RELAÇÃO ENTRE CONSCIÊNCIA PSICOLÓGICA E CONSCIÊNCIA MORAL.
QUESTÃO 02. EXPLIQUE O QUE É AGIR SOB COAÇÃO?
QUESTÃO 03. DIFERENCIE COAÇÃO INTERNA DE COAÇÃO EXTERNA.
QUESTÃO 04. POR QUÊ UM LOUCO PODE SE EXIMIR DA RESPONSABILIDADE MORAL? EXPLIQUE.
UM ABRAÇO,
PROF. LEO

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

DEVER DE CASA: 9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
SÉRIE: 9° ANO - ENSINO FUNDAMENTAL
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA (ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA)

TEXTO 1: OS LIMITES DA LIBERDADE
“Quando se diz que a liberdade de um acaba quando começa a liberdade do outro, o que se procura no fundo é evitar o questionamento do que deva ser a liberdade. A posição limita-se a considerar o seu exercício, sem maiores especulações sobre o que efetivamente possa ser considerado como liberdade. Nessas condições, admite-se como direito de liberdade de um indivíduo ele realizar tudo quanto queira desde que suas ações não venham a interferir na vida do outro. O que não se admite são os choques, os conflitos. Deste modo, teria eu o direito de fazer tudo quanto quisesse desde que não perturbasse a vida de outra pessoa. Sim, o sentido parece claramente ser esse. Mas, será isto aceitável? Primeiro, é possível todas as pessoas agirem de tal modo que cada um faça o que quer desde que não afete a vida do outro? Admitamos, teoricamente, que isto seja possível. Quais seriam as consequências? Ousamos dizer que as consequências estariam em que toda a vida humana seria perturbada. Como pretender não afetar a vida do outro se naturalmente nossas vidas são afetadas umas pelas outras? Depois, não basta (...) admitir a liberdade de um em separado da liberdade do outro, uma vez que faz parte legítima da liberdade de cada um esperar do outro aquilo que lhe é devido, ou seja, não é possível escamotear¹ o fato de que uns têm para com os outros deveres recíprocos.

(...)

O homem é de fato um animal social. Desta forma, não podemos esperar que realize o plano de sua liberdade a não ser dentro de um contexto social. A sua liberdade é na verdade uma co-liberdade. Ele constrói a sua liberdade em espírito de comunidade, dentro de um sentido de co-participação.”

MENDONÇA, Eduardo Prado de. A construção da liberdade. São Paulo: Convívio, 1977. p.21 e 78.

_________________________________________
¹ escamotear - tirar, mudar, fazer desaparecer alguma coisa sem os presentes darem por isso; fig., roubar com subtileza; palmar, larapiar; iludir com astúcia; evitar habilmente e de modo pouco sério, pouco honesto.

RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO ( ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA)

ALUNO(A):_________________________________________ N°:__________ TURMA:_______

QUESTÃO 01. Segundo o autor, a máxima “liberdade de cada um termina onde começa a do outro” não atinge a verdadeira essência da liberdade. POR QUÊ?

QUESTÃO 02. Você concorda com o autor? REDIJA um texto, explicando sua opinião. (12 linhas).

DEVER DE CASA: 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
UNIDADE CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS
SÉRIE: 1ª ENSINO MÉDIO
DISCIPLINA: FILOSOFIA/SOCIOLOGIA
PROF. LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
ATIVIDADE: DEVER DE CASA (ENTREGAR EM FOLHA SEPARADA)

LEIA ATENTAMENTE O TEXTO MITO E FILOSOFIA (CLIQUE Mito e a Filosofia) E DEPOIS LEIA E RESPONDA O TEXTO CAUSAS E ORIGENS DA FILOSOFIA.

TEXTO: CAUSAS E ORIGENS DA FILOSOFIA

Por que os gregos começaram a explicar o mundo de uma forma diferente da explicação mitológica? Em outros termos, o que tornou possível a passagem da cosmogonia à cosmologia?

Há causas para a origem da Filosofia e, agora, vamos analisar algumas delas. Perceba como cada uma delas operou uma mudança significativa no modo de pensar do homem na Antigüidade grega, permitindo a formação de coisas novas como a Filosofia, segundo Jean-Pierre Vernant.

1) Navegações: uma parte considerável da vida dos gregos relacionava-se com o mar, era de onde, por exemplo, conseguiam obter parte significativa de sua alimentação. Vivendo muito no mar, os gregos não encontraram muitos dos monstros marinhos narrados pela história oral e nem vivenciaram seres e histórias narradas por poetas. Assim, as navegações contribuíram para o que Max Weber chamou mais tarde de “desencantamento do mundo”. Fazia-se necessário um saber que explicasse os fatos ocorridos na natureza que não recorresse a histórias sobrenaturais.

2) Calendário e moeda: viver podendo pensar o tempo abstratamente e quantificando valores para realizar trocas não é algo que sempre ocorreu na história da humanidade. Quando os gregos passaram utilizar o calendário e a moeda, introduzida pelos fenícios, conseguiram abstrair valores como símbolo para as coisas, fazendo avançar a capacidade de matematizar e de representação. Tudo isso favoreceu um desenvolvimento mental muito significativo e com grande capacidade de abstração.

3) Escrita: outro fator que potencializou em grande medida o poder de abstração do homem grego foi transcrever a palavra e o pensamento com símbolos: eis o alfabeto. A escrita permite o pensamento mais aguçado sobre algo quando ficamos lendo e analisando alguma coisa, como, por exemplo, uma lei. Ao ser fixada, a lei fica exposta como um bem comum de toda a cidade, um saber que não é secreto como um saber vinculado ao exercício de um sacerdote, mas propriamente público, além de estabelecer uma nova noção na atividade jurídica, a saber, uma verdade objetiva.

4) Política: esta é a principal causa para a origem da Filosofia, já que, até agora, vimos somente a contribuição das técnicas para isso; porém, havia mais recursos técnicos no Oriente que na Grécia, e a Filosofia é uma invenção genuinamente grega, além do Oriente não ter se libertado dos mitos. Note que a palavra política é formada pelo termo grego pólis, cujo significado é cidade, cidade-estado, conjunto de cidadãos que vivem em um mesmo lugar e uma mesma lei. E o mais importante: são os cidadãos que faziam suas próprias leis mediante uma assembléia. Esta prática teve início com os guerreiros que, juntos, discutiam o melhor modo de vencer ao inimigo, cada um dos guerreiros tinha o direito de falar, bastando para isso ir ao centro do círculo formado na assembléia; ao final da guerra, outras assembléias eram feitas para dividir o que foi ganho. Isto é, ocorre a prática do diálogo para a decisão, dando a todos o direito de falar e a condição de serem iguais uns aos outros e à lei partilhada entre eles. Aquele que conseguir convencer a maioria de que sua proposta é a que aproxima-se mais da verdade de como vencer aos inimigos, receberá maior número de votos. Ora, é esta a prática que o filósofo adotou mais tarde: escrevendo ou discursando, tornava pública suas idéias por considerá-las verdadeiras, por pretender encontrar a harmonia perdida do debate entre opiniões divergentes. Debater, trocar opiniões, argumentar, eis a prática democrática, eis a prática filosófica. A Filosofia nasce como uma filha da pólis, como uma filha da democracia.

Eis o que Jean Pierre Vernant chamou de um “universo espiritual da pólis”[1]: trata-se de um lugar com proeminência da palavra - a palavra aberta a todos e com igualdade no seu uso era o modo de fazer política; com publicidade - separação entre questões privadas e questões públicas, estabelecendo práticas abertas e democráticas em oposição aos processos secretos; com isonomia – todos eram iguais no exercício do poder e diante das leis que criaram. Além disso, este novo universo espiritual esteve acompanhado e propiciou uma “mutação mental”[2] nos homens: agora era possível explicar o mundo abstratamente excluindo o sobrenatural. Este novo “universo espiritual da polis” foi determinante para a origem da Filosofia. O que falta sabermos, agora, é porque só algumas pessoas tornaram-se filósofos, e não todas.

_________________________________________
[1] VERNANT, Jean-Pierre. As Origens do Pensamento Grego. Tradução de Ísis Borges B. da Fonseca, Rio de Janeiro, 11° edição, 2000, p. 41.[2] ______. Mito e pensamento entre os gregos: estudos de Psicologia Histórica, p. 453.


RESPONDA EM FOLHA SEPARADA

ALUNO(A):_______________________________________ N°:______ TURMA:________

QUESTÃO 01 – Como as navegações contribuíram com uma mudança no modo de pensar dos homens da Antiguidade Grega?

QUESTÃO 02 – Como a moeda e o calendário contribuíram com uma mudança no modo de pensar dos homens da Antigüidade Grega?

QUESTÃO 03 – Por que a política é a principal causa para a origem da Filosofia na Antigüidade Grega? Responda citando também a importância dos guerreiros e sua prática democrática. (5 linhas)

QUESTÃO 04 – O que Jean-Pierre Vernant entende por um novo “universo espiritual da pólis”? (5 linhas)

QUESTÃO 05 – As navegações, o calendário e a moeda, a escrita e a política contribuíram com a mudança no modo de pensar dos homens na Antigüidade Grega. Você considera que, hoje, a informática, com a virtualidade, pode está mudando o nosso modo de pensar? Explique. (8 linhas)

Fonte: Prof. Ms. Humberto Zanardo Petrelli. (http://www.consciencia.org/)

_____________________________________________

VEJA TAMBÉM:

Texto: Mito e a Filosofia

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=UTbyWYwBc8Y (Mito e Razão - parte 1)
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=S_2khAPURtI (Mito e Razão - parte 2)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

PROVA DE FILOSOFIA VESTIBULAR UFMG 2012 - COMENTÁRIO


A Copeve divulgou nesta quarta-feira 04/01/2012 a Prova de Filosofia do Vestibular UFMG 2012. Como já era esperado caiu uma questão de cada texto filosófico exigido cujo os autores são EPICURO, DESCARTES e ARENDT. Para conferir a prova clique aqui.

O que me surpreendeu foi o tamanho da prova, com apenas quatro questões, o que não era esperado, pois nos vestibulares anteriores eram de cinco a seis questões. Neste ano caiu apenas uma questão surpresa cujo tema foi lógica formal (cf. questão 04) que não exigia conhecimento prévio do conteúdo, apenas interpretação do candidato, uma vez que o próprio texto citado na prova já era suficiente para responder a questão.

A prova estava simples e fácil para quem mergulhou nos textos e aprofundou nos problemas centrais levantados por cada filósofo, a quarta questão não foi surpresa para quem viu o Programa Temático, contudo o candidato que não fez o aprofundamento nos textos deve ter sentido na pele grandes dificuldades em sua resolução, a pertinência dos argumentos é o que vai diferenciar a nota do candidato bem preparado dos demais. O valor de cada questão é 20 pontos, somando o total de 80 pontos. Uma boa pontuação na prova de Filosofia é decisiva para o ingresso na Universidade Federal de Minas Gerais. 

Confira a correção da Prova de Filosofia da 2ª etapa da UFMG 2012 
clicando aqui.



AULAS DE FILOSOFIA  PARA A 2ª ETAPA DO

 VESTIBULAR UFMG 2013


PROGRAMAÇÃO:

1. APROFUNDAMENTO NO PROGRAMA TEMÁTICO DE FILOSOFIA;
2. LEITURA E ANÁLISE DOS TEXTOS DA UFMG;

Turmas com no máximo 10 alunos*;
Análise aprofundada dos textos da 2ª Etapa da UFMG 
Material didático próprio**;
Aulas multimídias e interativas;
Espaço grande e arborizado;
Próximo ao Colégio Magnum;
Ônibus na porta (Linha 8103 - Azul);
Pontos de referência: próximo à Av. Cristiano Machado (Nova Floresta / Colégio Magnum) e Rua Jacuí.

Prova de Filosofia é cobrada nos seguintes cursos: 
Artes Visuais; Cinema de Animação e Artes Digitais; Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis; Comunicação Social; Ciências do Estado; Ciências Sociais; Design de Moda; Direito e Filosofia.

Professor Leonardo Oliveira de Vasconcelos
Professor de Filosofia e Sociologia do Colégio Magnum Agostiniano.
Bacharel e Licenciado em Filosofia pela UFMG.
Especialista no Ensino de Filosofia e preparação para a 2ª Etapa do Vestibular da UFMG,

Local: 
Espaço Villa dos Dons
(Rua Horta Barbosa, n° 887. Nova Floresta. Belo Horizonte - Minas Gerais. Ônibus: 8103 - Azul).

Contato: 
(31) 9399-4739.
(31) 2552-7391.
leo.o.ufmg@gmail.com

MATRÍCULA E MAIORES INFORMAÇÕES SERÃO DIVULGADAS EM OUTUBRO.

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho