terça-feira, 28 de dezembro de 2010

É NECESSÁRIO FORTALECER E PROMOVER A FILOSOFIA NO BRASIL, DIZ UNESCO

É necessário fortalecer e promover a Filosofia no Brasil

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) declara que é necessário fortalecer e promover a Filosofia no Brasil. De acordo com a UNESCO é por meio da Filosofia, que a população brasileira poderá aprender sobre os fundamentos conceituais dos princípios e dos valores da paz mundial, que são:

* Democracia

* Direitos humanos

* Justiça

* Igualdade

Os projetos nesta área são recentes e relativamente poucos na carteira do setor de Ciências Humanas e Sociais da Representação da UNESCO no Brasil. No entanto, desempenham papel inovador e transformador na sociedade, pois incentivam a reflexão sobre questões centrais ao desenvolvimento social baseado em princípios que valorizam e protegem o ser humano e sua dignidade.


No Brasil, como parte de suas funções de conscientização, o Setor de Ciências Humanas e Sociais da UNESCO utiliza-se de eventos públicos para mobilizar pessoas. Sendo assim, o setor, juntamente com sua parceira, a Associação Palas Athena, organizam anualmente eventos de comemoração do Dia Mundial da Filosofia desde sua criação, em 2002, a cada terceira quinta-feira do mês de novembro. O objetivo dessa celebração é promover a reflexão filosófica e dar visibilidade à filosofia em todas as regiões do mundo, especialmente nos países onde a filosofia não é formalmente ensinada como parte do currículo escolar.

© UNESCO/Nelson Muchagata
Criança desfavorecida no Brasil (foto)



domingo, 26 de dezembro de 2010

Sem a música a vida seria um erro, diz Nietzsche


Atendendo a pedidos dos meus alunos e alunas, segue o vídeoclipe Oficial da música Esperar, da minha ex-banda ROKÁZZ. O Clipe foi gravado na Serraria Souza Pinto em 2008, em Belo Horizonte - MG.



Veja o clipe antigo:

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

AS TRÊS FORMAS DE PODER - TEORIA DAS FORMAS DE GOVERNO DE NORBERTO BOBBIO

O filósofo Norberto Bobbio em sua obra A Teoria das Formas de Governo nos diz que se observarmos bem a sociedade, o que ocorre de fato não são os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, mas os poderes econômico, ideológico e político.

O primeiro, poder econômico, é o que se vale da posse de certos bens, necessários e considerados como tais: "numa situação de escassez, para induzir aqueles que não os possuem a manter um certo comportamento, consistente e sobretudo na realização de certo tipo de trabalho" (Idem. Ibidem, p. 955). Estes são os donos dos meios de produção, que têm a posse da terra e das indústrias e têm a empresa em seu nome; em oposição, está o trabalhador que nada tem a não ser a sua força de trabalho (mão-de-obra), única força que tem para, em troca, receber um salário mínimo.

O poder ideológico se baseia na influência das idéias formuladas pelo poder dominante. É claro, tais idéias são expressas, em certas circunstâncias, "por uma pessoa investida de autoridade e difundida mediante certos processos, exercem sobre a conduta dos associados" (Idem. Ibidem, p. 955). Os formadores de idéias têm a função de consenso, isto é, de criar idéias que mantenham as estruturas intactas, preservando a classe dominante. A família, as religiões, a escola, os meios de comunicação sociais e o direito (lei) são alguns dos aparelhos (instituições) que dão sustentação ao sistema.

O poder político tem a estrutura burocrática (administrativa) a seu favor. Quem detém o poder econômico e o poder ideológico tem, conseqüentemente, o poder político. O poder político utiliza-se, muitas vezes, de instrumentos mediante os quais exerce a força física (armas de toda espécie e potência). É o poder que se utiliza da força (coação), empregando as mais diferentes formas de violência, para garantir a permanência dos privilégios de determinado grupo. Todas as três formas de poder se fundamentam e mantêm uma sociedade de desiguais. Isso significa: "dividida em ricos e pobres, com base no primeiro; em sábios e ignorantes, com base no segundo; em fortes e fracos, com base no terceiro; genericamente, em superiores e inferiores" (Idem. Ibidem, p. 955).

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Textos de Filosofia


"Qual é a coisa mais importante da vida? Se fazemos essa pergunta a uma pessoa de um país assolado pela fome, a resposta será: a comida. Se fazemos a mesma pergunta a quem está morrendo de frio, então a resposta será: o calor. E quando perguntamos a alguém que se sente sozinho e isolado, então, certamente, a resposta será: a companhia de outras pessoas.

Mas, uma vez satisfeitas todas essas necessidades, será que ainda resta alguma coisa de que todo mundo precise? Os filósofos acham que sim. Eles acham que o ser humano não vive apenas de pão.

É claro que todo mundo precisa de comida, de amor e de cuidado. Mas ainda há uma coisa de que todos nós precisamos. Nós temos a necessidade de descobrir quem somos e por que vivemos.

(...) Embora as questões filosóficas digam respeito a todas as pessoas, nem todas se tornam filósofos. Por diferentes motivos, a maioria delas é tão absorvida pelo cotidiano que a admiração pela vida acaba sendo completamente reprimida. Um filósofo nunca é capaz de se habituar completamente com este mundo. Para ele, o mundo continua a ter algo de incompreensível, algo até de enigmático, de secreto, embora a maioria das pessoas vivencie o mundo como uma coisa absolutamente normal. Isso quer dizer que ele sempre vê as coisas com espanto, a admiração ou a curiosidade, como se fosse a primeira vez.

(...) Em algum lugar, dentro de nós, alguma coisa nos diz que a vida é um grande enigma. E já experimentamos isto, muito antes de aprendermos a pensar.”

GAARDER, Jostein. O que é Filosofia. in O Mundo de Sofia. Companhia das Letras.

____________________________________________________________________


O que é a filosofia senão um modo de refletir, não tanto sobre aquilo que é verdadeiro e aquilo que é falso, mas sobre a nossa relação com a verdade? (...) Não há nenhuma filosofia soberana, é verdade, mas há uma filosofia ou, melhor, há filosofia em atividade. A filosofia é o movimento pelo qual nos libertamos – com esforços, hesitações, sonhos e ilusões – daquilo que passa por verdadeiro, a fim de buscar outras regras do jogo. A filosofia é o deslocamento e a transformação das molduras de pensamento, a modificação dos valores estabelecidos, e todo o trabalho que se faz para pensar diversamente, para fazer diversamente, para tornar-se outro do que se é (...)

FOUCAULT, Michel. Sobre a Filosofia. in Estética dell’esistenza, Etica, Politica, v. 3.

____________________________________________________________________

Segundo a Filosofia, “escolhemos o mal porque pensamos que era um bem, por ignorância”. Em Espinosa, essa má escolha tira nossa força, enfraquece-nos, elimina nossa vontade e se torna vício. No vício, o objeto do desejo se apodera do sujeito e passa a governá-lo. A única forma de eliminar o vício é sentir outro desejo e correr novos riscos, uma vez que o novo desejo pode ser alegre ou triste. Viver é imprevisível.


A vida ética depende da qualidade da nossa vontade e da disciplina para forçá-la rumo ao bem. Como escreve Epicuro:

“Chamamos ao prazer princípio e fim da vida feliz. Com efeito sabemo que é o primeiro bem, o bem inato, e que dele derivamos toda escolha ou recusa e chegamos a ele valorizando todo bem, com critério do efeito que nos causa.

E como o prazer é o primeiro e inato bem, é igualmente por esse motivo que não escolhemos qualquer prazer; antes, pomos de lado muitos prazeres quando, como resultado deles, sofremos maiores pesares; e igualmente preferimos muitas dores aos prazeres quando, depois de longamente havermos suportado as dores, gozamos de prazeres maiores.

Por conseguinte, cada um dos prazeres possui por natureza um bem próprio, mas não se deve escolher cada um deles do mesmo modo, assim como cada dor é um mal, mas nem sempre se deve evitá-las. Convém, então, valorizar todas as coisas de acordo com a medida e o critério dos benefícios e dos prejuízos, pois que, segundo as ocasiões, o bem nos produz o mal e o mal nos produz o bem”


EPICURO. Carta sobre a felicidade (a Meneceu)

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho