sexta-feira, 12 de março de 2010

9ª SÉRIES ROTEIRO DE ESTUDOS PROVA DE FILOSOFIA – 1ª ETAPA

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
CIDADE NOVA – BELO HORIZONTE – MG
DISCIPLINA: FILOSOFIA PROF.: LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
TURMA: 9ª SÉRIE – ENSINO FUNDAMENTAL.
ROTEIRO DE ESTUDOS PROVA DE FILOSOFIA – 1ª ETAPA
1ª PROVA – MISTA. DIA: 19 / 3 / 2010

HABILIDADES EXIGIDAS:

1. O que é Liberdade?
- Reconhecer e caracterizar as várias concepções de liberdade (para o adulto, para um adolescente, para uma criança)
- Identificar os conceitos de liberdade (liberdade física, liberdade de expressão, liberdade de imprensa, liberdade política etc).
- Analisar e argumentar sobre a ideia e o conceito de liberdade.2. O que é Livre-arbítrio?- Reconhecer e caracterizar o conceito de livre-arbítrio.
- Identificar e argumentar sobre a idéia e o conceito de livre-arbítrio.

3. O que é Determinismo?
- Reconhecer e caracterizar as várias concepções de determinismo (determinismo científico e determinismo absoluto)
- Reconhecer e caracterizar o Fatalismo.

Orientações Gerais:

1. Estude utilizando o caderno e as folhas complementares.
2. Refaça os exercícios trabalhados como forma de testar seus conhecimentos (sobretudo os Deveres de Casa e os Trabalhos).
3. Não deixe para estudar apenas na véspera da prova. Organize-se!
4. Procure entender os conceitos, não decorá-los.
5. Preste bastante atenção ao escrever as respostas abertas: utilize um bom vocabulário e transmita suas ideias construindo um texto (com INÍCIO, MEIO e CONCLUSÃO e boa caligrafia, respeitando os limites de cada linha).
6. Não ouse responder em tópicos, você perderá pontos.
7. Sempre faça os deveres de casa com afinco, eles são fundamentais para a sua preparação para a prova.
8. Blog do professor: http://blogpensar.blogspot.com/
9. E-mail do professor: leonardooliveira@magnum.com.br
10. ESTE CONTEÚDO ESTÁ DISPONÍVEL NO MAGNUM SOL
___________________________________________________
SEGUE ABAIXO O PARA CASA PARA AQUELES QUE PERDERAM A FOLHA DE ATIVIDADES

9ª SÉRIE - PARA CASA N°1

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO

CIDADE NOVA – BELO HORIZONTE – MG
DISCIPLINA: FILOSOFIA.
PROF.: LEONARDO OLIVEIRA DE VASCONCELOS
TURMA: 9ª SÉRIE – ENSINO FUNDAMENTAL.
ATIVIDADE: PARA CASA N° 2

TEXTO 1 - Agências de notícias

“Os países capitalistas desenvolvidos controlam em grande parte as notícias internacionais, veiculadas no Ocidente, através de seis agências de informação. Além disso, publicam 83% dos livros editados no mundo, controlam as dez maiores agências de publicidade do mundo (sete são norte-americanas e três têm participação majoritária de capital norte-americano), produzem e exportam 77% de filmes para cinema – e assim por diante. As seis agências que ditam os rumos do noticiário internacional são a francesa Agence France-Presse (AFP), as norte-americanas United Press International (UPI) e Associated Press (AP), a inglesa Reuter, a italiana ANSA (Agenzia Nazionale Stampa Associata) e a alemã DPA (Deutsche Presse-Agentur).
Uma pesquisa feita com jornais mineiros Estado de Minas, por exemplo, o Jornal do Brasil, do Rio, e O Estado de São Paulo mostra resultados absolutamente estarrecedores¹, embora de conhecimento geral no meio jornalístico: no período de uma semana, o noticiário internacional de O Estado foi preenchido, em 55,8% com material fornecido pelas grandes agências citadas. Mais 9,4% ficou em reproduções de jornais estrangeiros (The New York Times, The Washington Star, etc.). Somem-se outros 4,8% de outras fontes externas e verifica-se que o jornal paulista preencheu apenas 30% de sua informação internacional com material de seus próprios jornalistas ou colaboradores. No caso do Jornal do Brasil, os números são apenas ligeiramente melhores: 42,5% de seu espaço internacional era preenchido por fontes próprias.
E, quando a pesquisa se estende à imprensa regional, a situação se agrava consideravelmente: os jornais de Belo Horizonte, a terceira cidade do país, ocuparam 93,6% de seu espaço com notícias mencionadas têm vínculos, diretos ou indiretos, com os governos de seus respectivos países e refletem, na maioria das vezes, posições ou interesses deles – posições e interesses que raramente coincidem com os dos países em desenvolvimento.”
ROSSI, Clóvis. O que é jornalismo. São Paulo: Brasiliense, 1988. p.81-2 (Primeiros Passos, 15).
¹ estarrecer - v.t. Causar pavor, terror a; aterrar, apavorar, assustar. Deixar perplexo; pasmar.

1. Por que o autor considera grave os jornais brasileiros fundamentarem boa parte de suas notícias em informações fornecidas por agências internacionais?

2. Além das grandes agências de notícia que manipulam as informações, cada veículo de informação nacional noticia os fatos de acordo com sua visão e interesses políticos e econômicos. O que podemos fazer para chegar o mais perto possível da informação imparcial?

3. Escolha um fato importante da semana e analise como ele é noticiado (ou omitido) pelos veículos de comunicação. Observe como a notícia é dada em diferentes veículos (por exemplo, imprensa escrita e imprensa falada) ou num mesmo veículo de empresas diferentes (por exemplo, os principais jornais de sua cidade ou estado). Apresente os resultados da sua análise por escrito.

TEXTO 2 - Degradação na TV

“A sociedade brasileira caracteriza-se por atitudes liberais em relação aos costumes. O brasileiro tende a ser tolerante diante de comportamentos considerados imorais ou libertinos para povos, por exemplo, de tradição religiosa puritana, como os norte-americanos. A televisão, hoje talvez a principal caixa de ressonância de hábitos enraizados na sociedade, não poderia deixar de incorporá-los e reproduzi-los.
No caso brasileiro, no entanto, a situação chegou ao paroxismo. Assiste-se hoje pela TV a uma escalada de vulgaridade, de degradação e de humilhação. Os alvos desse comportamento podem ser, por exemplo, deficientes físicos ou o corpo feminino. Ainda essa semana, um programa dominical exibido à tarde mostrava mulheres nuas servindo de bandeja para um repasto de atores; na emissora concorrente, meninas de quatro anos dançavam de forma ‘erótica’ sobre o gargalo de garrafas; num terceiro, que defende a violência policial, um portador de uma síndrome que deforma o corpo e causa retardo mental serve como bobo da corte – isto é, do programa.
O problema não se restringe à TV. Outdoors e cartazes em bancas de jornal povoam as cidades com obscenidades que, obviamente, ficam expostos às crianças. É um equívoco, porém, deduzir desse quadro que a melhor saída seria a volta de alguma forma de censura, tal como ocorria, por exemplo, no regime militar.
Não cabe também ao Estado tutelar a sociedade no que diz respeito à liberdade de expressão. A própria sociedade tem meios para escolher o que deseja ou não ver na TV, e o mais simples e eficaz deles é o boicote a programas que julga inadequadas. Tal atitude poderia inclusive evoluir para uma atuação mais organizada na forma, por exemplo, da criação de conselhos reguladores constituídos por representantes da sociedade civil para sugerir critérios (de horário, entre outros) que, sem ferir a liberdade das emissoras, contemplem os direitos de cada família e não tornem a programação apenas nociva para as crianças e a cidadania.”
EDITORIAL da Folha de São Paulo, 29 out. 1997, p.1-2.

1. Você concorda com o que diz o primeiro parágrafo? POR QUÊ?

2. O que afirma o segundo parágrafo acontece mesmo ou é um tanto exagerado?

3. Você acha viável os argumentos do editorial do jornal de que não cabe ao Estado tutelar a sociedade? Antes de responder, leia os artigos 220 e 221 da Constituição Federal do Brasil (confira na p.3).

4. Será que os “conselhos regulares” teriam força e abrangência para “dobrar” as poderosas emissoras?
Constituição Federal do Brasil

Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§ 1º - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no Art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

§ 3º - Compete à lei federal:

I - regular as diversões e espetáculos públicos, cabendo ao Poder Público informar sobre a natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em que sua apresentação se mostre inadequada;

II - estabelecer os meios legais que garantam à pessoa e à família a possibilidade de se defenderem de programas ou programações de rádio e televisão que contrariem o disposto no Art. 221, bem como da propaganda de produtos, práticas e serviços que possam ser nocivos à saúde e ao meio ambiente.

§ 4º - A propaganda comercial de tabaco, bebidas alcoólicas, agrotóxicos, medicamentos e terapias estará sujeita a restrições legais, nos termos do inciso II do parágrafo anterior, e conterá, sempre que necessário, advertência sobre os malefícios decorrentes de seu uso.

§ 5º - Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio.

§ 6º - A publicação de veículo impresso de comunicação independe de licença de autoridade.


Art. 221 - A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;

II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho