quarta-feira, 25 de novembro de 2009

TEXTOS 3ª ETAPA - 9ª SÉRIE ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO
CIDADE NOVA - BELO HORIZONTE
DISCIPLINA: FILOSOFIA
PROFESSOR: LEONARDO O. DE VASCONCELOS
TURMA: 9ª SÉRIE (ENSINO FUNDAMENTAL)

TEXTO 1: COAÇÃO INTERNA E COAÇÃO EXTERNA

Como fica a responsabilidade moral de um neurótico que mata num momento de crise aguda e de um cleptomaníaco que rouba por impulso irresistível? Tais pessoas agem sob uma coação interna (tendências patológicas, doentias) a que não podem resistir. Tal coação anula a liberdade (possibilidade de escolha) da pessoa e a exime da responsabilidade moral.

Uma coação externa também pode anular a vontade da pessoa, eximindo-a de sua responsabilidade. Se alguém, de revólver na mão, força João a escrever uma carta em que difama outra pessoa, pode ele ser considerado responsável pelo que escreveu? Em alguns casos, a coação é tão forte, acarretando riscos para a própria vida, que não resta margem para decidir e agir de acordo com a vontade própria, pois a resistência física e espiritual tem um limite, além do qual o sujeito perde o domínio sobre si mesmo.

TEXTO 2: AS ETAPAS DA FORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA MORAL

O psicólogo e pedagogo Jean Piaget realizou, a partir de uma pesquisa com crianças dos bairro de Genebra, na Suíça, um estudo pioneiro sobre o desenvolvimento do critério moral. Segundo ele, a formação da consciência moral na pessoa segue, basicamente, quatro etapas:

1ª ETAPA - ANOMIA (do grego a, "negação, ausência", + nomos, "lei" = sem lei) É a etapa do comportamento puramente instintivo, que se orienta apenas pelo prazer e pela dor. A criança procura o prazer e foge da dor, sem relacioná-los a normas morais.
No adulto, a anomia revela um nível muito baixo de moralidade, ou seja, falta de responsabilidade e de ideal moral. Exemplificando, seria o caso do motorista que "voa" com seu automóvel apenas pelo prazer de correr, sem considerar as consequências de seu ato.

2ª ETAPA - HETERONOMIA (do grego héteros, "outros", + nomos, "lei" = lei estabelecida ou imposta por outro). Nesta fase, a criança obedece às ordens para receber a recompensa ou para evitar o castigo.
Entre adultos, é o caso do motorista que observa as leis de trânsito só para não ser multado.

3ª ETAPA - SOCIONOMIA (do latim socius, "companheiro, colega", e do grego nomos, "lei" = lei interiorizada do convívio). Nesta etapa, os critérios morais da criança vão se afirmando por meio de suas relações com outras crianças. Ela vai interiorizando as noções de responsabilidade, obrigação, respeito, justiça. Começa a não fazer aos outros o que não gostaria que fizessem a ela. Age sempre buscando a aprovação ou evitando a censura dos outros.
Entre adultos, é o caso do motorista que dirige preocupado consigo mesmo e sobretudo com o que os outros pensam dele.

4ª ETAPA - AUTONOMIA (do grego, autós, "próprio", = nomos, "lei" = lei própria). Nessa fase, a criança já interiorizou as normas morais e passa a comportar-se de acordo com elas.
É a etapa mais elevada do comportamento moral.
Entre adultos, é o caso do motorista que, na direção do automóvel, orienta-se pelas leis de trânsito e por seus próprios princípios internos de conduta.

Pensamentos

"Conhece a ti mesmo." Sócrates --"A linguagem é a morada do Ser." Heráclito -- "O homem é a medida de todas as coisas." Protágoras -- " Penso, logo existo. " René Descartes -- " O Mundo é minha representação sobre ele. " Artur Schopenhauer -- " Ai ai, o tempo dos pensadores parece ter passado! " Soren Kierkaard -- "Sobre aquilo que não pode ser dito deve se calar.” Ludwig Wittgenstein -- "O Ser é um horizonte de possibilidades." Martin Heidegger -- "A essência precede a existência." Jean Paul Sartre -- " A esperança floresce senão sobre o solo do desespero. " Gabriel Marcel "A razão e a sabedori falam. O Erro e a ignorância gritam." Sto. Agostinho "A melhor lição é o exemplo." Sto. Agostinho